quarta-feira, 20 de março de 2013

Humanos direitos prestes a depor Feliciano


A renúncia do pastor e deputado Marcos Feliciano (PSC) da presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados é quase certa. Ele não conseguirá permanecer no cargo diante da pressão dos ativistas dos direitos humanos que o consideram racista e homofóbico, portanto, desqualificado para presidir a Comissão, uma das mais importantes da Casa.
A polêmica em torno do nome do religioso começou ainda quando foi anunciada sua possível eleição para o cargo. Segundo os ativistas, em 2011, Feliciano usou o Twitter para dizer que os descendentes de africanos seriam amaldiçoados. "A maldição que Noé lança sobre seu neto, Canaã, respinga sobre o continente africano, daí a fome, pestes, doenças, guerras étnicas!", escreveu.
Desde assumiu a Comissão os protestos só Vêm se multiplicando em todo o Brasil. Nas duas sessões que ele presidiu na CDH, houve protestos. Hoje, a sessão chegou a ser suspensa devido à presença dos manifestantes.
O presidente da Câmara, Dep. Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) já se posicionou discretamente pela renúncia de Felicino, deixando a decisão por conta do seu partido, que admite a renúncia como solução para o caso. "O que consegui deles [PSC] é a solidariedade de nos próximos dias reunir os seus membros do partido, com toda sua bancada, e, nos próximos dias, encontrar uma solução respeitosa para todos", disse. O Pr. Feliciano responde a processo no STF por estelionato.
Com informações do UOL

Nenhum comentário: