quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Bike Rapid Transit

Ciclistas aproveitam o atraso das obras para pedalar
Em Belém a grande sensação do Momento é o BRT, que agora virou Bike Rapid Transit, por que o Bus, ou Busú, pra ficar mais paraense, ainda não apareceu. A previsão anunciada pelo prefeito Dulciomar Costa era de que a estréia aconteceria ainda na primeira semana de outubro, coincidentemente juntinho com a realização do primeiro turno da eleição. Não deu, mas eles sabem como fazer.

domingo, 23 de setembro de 2012

Em Sampa, Serra e Haddad encontram-se nos bastidores


Em Manaus, coordenador da campanha tucana de Arthur Virgílio foi assassinado com três tiros


Do Blog do Josias
Foi assassinado a tiros, neste sábado (22), Aldemir de Queiroz Feitoza. Vem a ser um dos coordenadores da campanha do ex-senador Arthur Virgílio, candidato do PSDB à prefeitura de Manaus.
Líder comunitário, Aldemir Feitoza foi passado nas armas num estádio de futebol. Estava acompando de amigos. Um motoqueiro não identificado efetuou os disparos. Embora socorrida com vida, a vítima chegou morta ao hospital.
Ouvido, Arthur Virgílio declarou: “Esperamos que a polícia investigue esse caso e dê uma resposta rápida não só a sociedade, mas principalmente uma satisfação à família e aos amigos do líder comunitário Feitoza.” O candidato absteve-se de especular sobre as razões do crime. “Seria precipitado”, disse.
Conheça o Blog doJosias

sábado, 22 de setembro de 2012

Candidato destemperado apronta em entrevista


Mais uma pérola da eleição: candidato destemperado acordou com o pé direito. Ou será que ele nasceu com o pé direito? Bem, não sei. Só sei que ele é de direita. Ele ofende adversários e até os entrevistadores prometendo criar uma faculdade municipal de jornalismo para ensinar como se faz uma entrevista. O caso aconteceu em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. Vale a pena assistir.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Entre os jovens de 15 a 24 anos, alfabetizados funcionalmente chegam a 89%


O último levantamento do Indicador de Alfabetismo Funcional, o Inaf, divulgado neste sábado (14), aponta melhoras na educação do jovem brasileiro. Embora exista muito o quê se avançar na área, principalmente em termos de qualidade, a educação progrediu para a superação do analfabetismo absoluto entre os jovens de 15 a 24 anos, que era de 3% em 2001 e chegou a zero nesta edição da pesquisa. Já o percentual de alfabetizados funcionalmente foi de 78% para 89%, resultado que representa um aumento de 11 pontos percentuais quando comparado com o registrado em 2001, na primeira edição do Inaf.
“Avançamos bastante nessa última década, uma vez que a grande maioria dos jovens nesta faixa etária teve a oportunidade de acesso à educação na década anterior., Mas agora é preciso garantir a qualidade do ensino. O futuro do Brasil está na mão dessa geração. Os jovens de hoje serão os pais de família, os trabalhadores, eleitores, consumidores, produtores culturais, serão, enfim, as lideranças do País nos próximos 20 ou 30 anos”, explica Ana Lúcia Lima, diretora executiva do Instituto Paulo Montenegro que, junto com a ONG Ação Educativa, é responsável pela criação e implementação do Inaf.
A pesquisadora insiste porém na a importância do avanço na qualidade do ensino ofertado a essa parcela da população, pois os dados do Inaf indicam que o alfabetismo de nível pleno é ainda muito baixo, mesmo nessa faixa etária. “Apenas pouco mais de 1/3 dos jovens brasileiros domina plenamente o uso da leitura, da escrita e da matemática e isso gera enormes limitações na realização de suas potencialidades”, avalia a pesquisadora.
Leia mais no sítio do Ibope

Pesquisa encomendada não convence em Tucuruí


Soma dos números da pesquisa é igual a 101%. Fato inédito em Tucuruí.
A pesquisa encomendada pelo Sistema Floresta de Comunicação ao Ibope, e divulgada no último dia 17 de setembro, parece que não surtiu o efeito esperado pelos palacianos. Muita dúvida paira sobre os números, que inclusive somam 101% no total. Nela, o candidato a reeleição, Sancler Ferreira (PPS) aparece com 56% das intenções de votos enquanto que o segundo colocado está com apenas 15%.
Pra quem está vivendo o dia a dia da campanha esses números parecem irreais. Sancler tem perdido apoio e popularidade. Muitos candidatos a vereador estão formalmente na sua coligação e na verdade apóiam outros candidatos a prefeito. Isso vem acontecendo com mais frequencia no PSB e PSC.
Não há dúvidas de que o candidato do PPS ainda está na dianteira. Isso aparece nas pesquisas particulares dos outras candidatos e dele próprio, assim também como sua descida nas estatísticas. Prova disso são os ataques que vem fazendo aos seus adversários. Qua saudade do tempo em que o candidato apresentava propostas. Ta certo que muitas não foram cumpridas, mas pelo menos ele mantinha o nível.

Com chance de vencer, candidato do PSOL em Belém deixa radicalismos


Edmilson pode vencer na capital paraense ainda no primeiro turno
Líder na disputa pela Prefeitura de Belém, o PSOL tem chance real de governar uma cidade pela primeira vez, com o deputado estadual Edmilson Rodrigues.
Para isso, o partido moderou o discurso, abandonou propostas radicais e até acena ao PT com possível aliança, a despeito do clima de guerra da campanha.
Prefeito de Belém pelo PT de 1997 a 2004, Rodrigues migrou em 2005 para o PSOL, sigla que surgiu naquele ano de um grupo de insatisfeitos com os rumos do PT no comando do governo federal.
E como o PT também lançou candidato, o deputado estadual Alfredo Costa, os partidos disputam na campanha a paternidade de realizações da gestão de Rodrigues.
Com 38,4% de intenções de voto, segundo pesquisa deste mês do Instituto Acertar, o PSOL abandonou propostas que defende em outras cidades, como calote da dívida, redução de tarifa de ônibus e corte de cargos de confiança.
Também defende programas federais como o Minha Casa, Minha Vida e o Saúde da Família, e afirma que obterá recursos com a presidente Dilma Rousseff mesmo sendo oposição ao Planalto.
Segundo o candidato, o partido definiu que é possível flexibilizar as alianças nas cidades em que o PSOL tem candidato próprio à prefeitura. "O PSOL tem restrições ao PT, mas o debate pode permitir uma aliança, se aprovada pelo Diretório Nacional."
Para o cientista político Roberto Corrêa, da Universidade Federal do Pará, as propostas dos candidatos em Belém são parecidas, e o voto em Rodrigues se explica mais pela avaliação de sua gestão.
Em campanha, Rodrigues, arquiteto e professor universitário, prioriza regiões pobres de Belém, onde aborda moradores em suas casas e repete bordões como "socialismo" e "governo do povo".
Na disputa com o ex-prefeito estão José Priante (PMDB), com 16% das intenções de voto, e Zenaldo Coutinho (PSDB), com 12%. Costa, do PT, tem 3%.
Fonte: Folha de São Paulo