quinta-feira, 14 de junho de 2012

"Vou resistir, vou continuar lutando", diz Agnelo na CPMI

Agnelo Queiroz, Gov. do Distrito Federal
O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, negou nesta quarta-feira à CPI qualquer favorecimento à construtora Delta, alvo de denúncias que envolvem o bicheiro Carlos Cachoeira, e disse que sofre perseguição política pelo crime organizado no DF. Ele negou também ter favorecido o grupo do contraventor. “É legitimo eu questionar, quero o nome de uma pessoa que eu tenha nomeado a pedido de Cachoeira. Um só nome que eu tenha nomeado a pedido de Cachoeira com todas as 30 mil horas de gravação [da Operação Monte Carlo]”, afirmou. Agnelo disse que não vai “conviver com desconfiança da sua biografia” e colocou à disposição da CPI seus sigilos bancário, fiscal e telefônico. E foi muito aplaudido por parlamentares da base aliada presentes na comissão.

IG Notícias

Um comentário:

Anônimo disse...

ESTES POLÍTICOS SÃO CORRUPTOS.
É UMA CHINELAGEM.........