domingo, 11 de março de 2012

Evo Morales acusa EUA de racismo por não aceitar Cuba

Bloqueio econômico imposto pelos americanos à Cuba já dura 50 anos
O presidente da Bolívia, Evo Morales, acusou neste sábado o governo dos Estados Unidos de discriminatório, antidemocrático e racista por não aceitar a presença de Cuba na próxima Cúpula das Américas que será realizada na Colômbia.
"É inadmissível que os Estados Unidos não aceitem a presença de Cuba na Cúpula das Américas (...) Eles fizeram um ato de caráter discriminatório e antidemocrático", afirmou Morales em entrevista coletiva realizada no povoado de Coroico, a 96 quilômetros de La Paz, onde se reuniu com seus ministros.
Morales acrescentou que o anticapitalismo e o antineoliberalismo cresce no continente onde há presidentes que foram dirigentes de movimentos sociais, antiimperialistas e inclusive ex-guerrilheiros e "não reconhecer esse fato é só ser antidemocrático e até racista de parte do Governo dos Estados Unidos".
"Não é possível que um só país se imponha a todos os países da América para que Cuba não participar [da Cúpula]", disse Morales ao expressar sua solidariedade com o Governo e com os povos cubanos.
O líder boliviano também disse que o bloco da Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América (Alba), formada por oito países, vai continuar debatendo com outros Governos sobre se vão participar ou não da Cúpula de Cartagena de Indias em abril.
Fonte: Folha.com, através da EFE, em Lá Paz.

Um comentário:

JJ disse...

Nossa solidariedade ao povo cubano que ta sofrendo pra caramba! muita fome, miséria e, agora, também, prostituição! é lamentável! Meu Deus.