quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Termina a greve dos professores em Tucuruí

Em assembleia realizada na tarde de hoje, os professores da Rede Municipal de Ensino de Tucuruí resolveram suspender o movimento grevista que exigia o abono referente a sobras do Fundeb. Mesmo com a volta ao trabalho, a categoria continuará mobilizada e mantendo uma agenda para tingir seu objetivo. Leia o que disse o vereador Tom Bonfim, que também é diretor do Sintepp e esteve à frente da greve:
“Hoje, dia 16/fev, no 9° dia de paralisação, após avaliação positiva do movimento deflagrado por transparência na aplicação dos recursos destinados à educação municipal com pagamento de abono, em reunião plenária, companheiros e companheiras que se mantiveram firmes na luta resolveram suspender a greve e retornar às escolas. O sentimento é que a vigília tem de continuar até que não restem mais dúvidas quanto à obrigação da PMT em efetuar o pagamento de abono.
Sabíamos que não seria fácil "peitar" o prefeito e sua secretária, mas, mesmo diante das ameaças e perseguições, centenas de vozes se elevaram a grito de ordem pela moralização e transparência na gestão municipal. Também sabíamos da necessidade de sermos muito para sermos fortes e a greve foi mantida até o limite da prudência. Foi preciso recuar, contudo, desistir Jamais!!
Refletimos que nessa luta não há espaço para perdedores, para covardes - endurecer a crítica contra os companheiros e companheiras que não participaram diretamente da rotina grevista não é a saída. Estratégico é manter o diálogo na busca permanente da sensibilização e mobilização dos nossos iguais. Desde o início foi assim: exaltamos o que nos une.
Parabéns a quem participou muito ou pouco, direta ou indiretamente. A luta continua!!
NOSSA AGENDA:
Assembleia Geral, dia 27/fev/12 (segunda-feira), às 17:30 horas, no Sindicato.
Essa também é a data que a PMT terá para provar junto ao Ministério Público Estadual que nada nos deve.
Divulgue e Participe!!!”

3 comentários:

Anônimo disse...

Em outras palavras, pararam pra nada.

Anônimo disse...

Mas que coisa! Eu não parei, vc não parou, mas, pare de tripudiar.
O fato de eu não ter parado não quer dizer que estou contra meus colegas e muito menos, por estar a favor do prefeito.
Tô quietinho no meu canto para que toda a minha revolta contida venha dar um belo recado na urna para aqueles que nos usurpam, para aqueles que não investem na educação.
Vou bater um papinho com os pais, abrir olhos dos alunos, enfim, AMANHÃ VAI SER OUTRO DIA, POIS DEUS HÁ DE NOS PERMITIR FAZER A JUSTIÇA COM NOSSAS MÃOS: O VOTO!

Anônimo disse...

e depois dessas greves os alunos que tem que estudar feito condenado pra não reprova e isso aposta que vai descontar nas ferias