quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Realidade e fantasia na educação pública

Não entendo como alguns professores da Rede Pública de Ensino, principalmente de Português e Matemática, conseguem 100% de aprovação. Aliás, eu entendo sim. É que dessa forma escapam das aulas de recuperação e ganham duas semanas a mais de férias. Vejam abaixo matéria do UOL Educação que mostra a realidade nua e crua da educação no Brasil.

Nove em cada dez alunos do 9º ano de escolas públicas não sabem fazer contas com centavos
Nove em cada dez alunos de escolas públicas brasileiras do 9º ano (antiga 8ª série) não sabem, por exemplo, fazer contas com centavos. Essa é uma das conclusões de um estudo feito com exclusividade para o UOL Educação com as notas da Prova Brasil de 2009. O exame serve para avaliar a proficiência dos estudantes e é utilizado no cálculo do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). Mais de 80% dos estudantes brasileiros estão em unidades da rede pública.
De acordo com o estudo, feito pelo economista Ernesto Faria, 89,4% dos alunos do último ano do ensino fundamental tiveram desempenho “abaixo do básico” e “básico” na disciplina. Isso quer dizer que tiraram notas menores que 300 na prova –em uma escala que chega a 425 em matemática e a 350 em português.
Tirar menos que 300 significa, segundo um documento do MEC (Ministério da Educação) que divide as notas em faixas, que o estudante não consegue fazer operações de adição, subtração, divisão ou multiplicação que envolvam centavos em unidades monetárias, resolver problemas com porcentagens ou reconhecer um círculo e uma circunferência.
Clique aqui e continue lendo.

Nenhum comentário: