quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Exército de um homem só

Bons tempos: grande manifestação do Sintepp em 2007
Uma constatação. O Sintepp-Tucuruí passa por uma crise. Esse ano não conseguiu fazer frente às necessidades impostas aos trabalhadores da educação municipal e a categoria sofreu inúmeras derrotas, principalmente em relação a aprovação do PCCR. A diretoria está esfacelada com cada um cuidando de sua vida e mais uma greve dos professores da Rede Estadual de Ensino fica desassistida. Apenas um diretor se dedica de corpo e alma, mas parece que nem o corpo nem a alma têm sido suficientes.

Agora uma pergunta. Mesmo quando funcionava, a coordenação do sindicato nunca segurava a bandeira quando a greve era estadual. Por que será? O Sintepp tem que responder tanto em relação às demandas municipais quanto às estaduais, pois é pra isso que é eleito. Acredito que seja necessária uma plenária urgente para acertar os passos, discutir os problemas e encontrar uma solução. Afinal, pelo menos no ano que vem essa gestão tem obrigação de fazer um ponto nesse placar.

3 comentários:

Anônimo disse...

Mais do mesmo: enquanto o próprio SINTEPP insistir em dividir os trabalhadores em educação em categorias diferentes, lutando por uns e excluindo outros, qualquer luta pela educação tende ao fracasso, outro problema é velha interferência partidária influenciando sempre na direção e o que é pior nos interesses a serem defendidos.

Anônimo disse...

Não acredito que a culpa seja exclusiva dos representantes do Sintepp. O problema é a intimidação! A greve aqui no município, em 2010, fez com que os professores voltassem com uma "mão na frente e outra atrás", não houve nenhum retorno. O prefeito faz ouvido de mercador e a secretária é sua aliada. Espero que a mão-de-ferro pare de pesar sobre nós.
O que fazer?

Anônimo disse...

Antes de publicar este texto voce professor poderia ter ido até o Sintepp se informar a respeito dos professores do Estado, que se somar a quantidade de filiados não chegam a 10. Se estes mesmos professores não dispoem de interesse em estar filiados, e contribuir para o fortalecimento do único sindicato da categoria, o que dirá de querer enfrentar um governo e fazer greve?
Obrigado por publicar o comentário.