sábado, 22 de outubro de 2011

Dilma decide: ministro Orlando continua

Ministro Orlando Silva exige apresentação das provas por parte de seus acusadores
Pode até ser que o ministro dos esportes, Orlando Silva, venha a cair nos próximos dias, porém um fato importante e animador pra quem confia em sua seriedade e no projeto do Governo Federal é que após reunião com a presidente Dilma Roussef ontem a noite o ministro foi confirmado no cargo.

Passada praticamente uma semana que a revista Veja publicou acusações contra a pasta e o ministro, nenhuma prova foi mostrada pelo “PM Bandido”, como ficou conhecido o policial militar João Dias, que pretendia ser o algoz de Orlando, apesar de este já ter reunido com a bancada do DEMO/PSDB no Congresso, ter prestado depoimento na Polícia Federal, dado meia dúzia de coletivas à imprensa e ter marcado datas já vencidas para apresentá-las.

A imprensa e a oposição continuam ruminando as paginas da Veja e correm de um lado para outro tentando achar alguma coisa que o incriminem, mas até agora não apareceu nada de relevante, nada que ultrapasse suposições. "Nós esclarecemos todos os fatos. Trata-se de uma mentira, de uma farsa. Vamos trazer a verdade à tona", disse Orlando Silva em entrevista coletiva ao deixar o encontro. "Se houver algum tipo de desvio, algum tipo de mal feito, isso deve ser corrigido, deve ser combatido. Aliás, registrem: os caluniadores que me atacam neste momento, o fazem  porque nós combatemos o mal feito realizado por eles."

O PM João Dias responde a vários inquéritos por diversos crimes, inclusive de assassinato. Orlando afirma que o que o motivou a procurar a Veja para ataca-lo foi o fato do Ministério dos Esportes estar exigindo a devolução de 3 milhões desviados pela ONG do PM bandido, que atualmente mora numa mansão e ostenta carros de luxo incompatíveis com um salário de apenas R$ 4.500,00.

Mansão do PM João Dias
Obs: A fala de Orlando nessa reportagem foi recortada do portal UOL

Nenhum comentário: