terça-feira, 6 de setembro de 2011

Taradão é preso por assassinato de Dorothy Stang

Irmã Dorothy foi assassinada em fevereiro de 2005
O fazendeiro Regivaldo Pereira Galvão, condenado a 30 anos de prisão pelo assassinato da freira americana Dorothy Stang, foi preso nesta terça-feira (6) depois de esperar em liberdade o resultado do recurso que pedia a anulação de seu julgamento. Galvão se apresentou à polícia na delegacia de Altamira (PA).

A Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Pará rejeitou o recurso com o qual o fazendeiro, o mandante do crime, esperava a anulação do julgamento no qual foi condenado e determinou que o proprietário rural fosse detido.

Condenado em 1º de maio de 2010, Galvão, conhecido como "Taradão", é o único dos cinco condenados pelo assassinato que permanecia em liberdade, e nega sua participação no crime.

Dorothy, uma freira missionária que defendia os agricultores sem-terra na Amazônia, foi assassinada com 12 tiros em 12 de fevereiro de 2005 em uma zona rural do município de Anapú (PA).

Um mês depois da condenação do fazendeiro, o Tribunal de Justiça do Pará lhe concedeu liberdade condicional em uma decisão que foi duramente questionada pela Promotoria e por várias organizações de defesa dos direitos humanos.

No recurso com o qual pretendiam anular o julgamento, os advogados de Galvão alegaram que seu cliente não teve direito a uma defesa adequada, já que foi mantido afastado dos defensores.

A família da missionária e a congregação das Irmãs de Notre Dame de Namur, à qual Dorothy pertencia, comemoraram a decisão em comunicado.

Fonte: UOL Notícias

Nenhum comentário: