sábado, 3 de setembro de 2011

PSD, de Kassab, sela aliança com PSB, de Campos

Kassab e Campos devem casar PSD e PSB no futuro. Alianças já estão sendo trocadas
juntas, duas legendas serão 2ª bancada da Câmara, à frente do PMDB

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, idealizador da nova legenda PSD, articulou nos últimos dias para que sua agremiação dê apoio à candidatura da deputada Ana Arraes (PSB-PE) na disputa por uma vaga de ministra do TCU (Tribunal de Contas da União).

Ana Arraes é mãe do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, presidente nacional do PSB.
Desde o início das articulações para que o PSD fosse criado, Kassab e Campos conversaram sobre colaboração e apoio mútuo no futuro. O futuro chegou com o PSD prestes a conseguir seu registro definitivo no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Com o objetivo de abrir caminho para Ana Arraes, o prefeito Kassab almoçou ontem (1º.set.2011) com o deputado Júlio César (DEM-PI, mas de malas prontas para o PSD). Júlio César queria se candidatar ao TCU, mas Kassab lhe disse que seria útil para o fortalecimento da futura legenda se ele renunciasse a favor da mãe de Eduardo Campos.

Ontem, Júlio César telefonou para Eduardo Campos e anunciou que estava desistindo depois da conversa mantida com Kassab.

“Esse pedido meu ao Júlio não significa que a bancada do PSD será conduzida ao voto automático na disputa pelo TCU. Mas é uma forma de abrir o caminho para que o governador Eduardo Campos possa conversar com todos os deputados e fazer uma reflexão a respeito da candidatura de Ana Arraes. O PSD e o PSB têm uma parceria muito forte em quase todos os Estados”, disse Kassab.

Esse gesto do prefeito paulistano sela uma futura aliança entre PSD e PSB, tanto dentro do Congresso como em disputas eleitorais de 2012 e 2014. A rigor, esse é o primeiro ato político concreto de atuação política do PSD –e justamente a favor do PSB.

O PSD deve contar com cerca de 50 deputados na sua largada. O PSB tem 31 cadeiras. Confirmados esses números, as duas legendas terão juntas 81 deputados e serão a segunda maior bancada na Câmara, à frente do PMDB (hoje com 80 deputados) e só atrás do PT (com 86).

Eduardo Campos, em seu segundo mandato como governador de Pernambuco, aspira a disputar a vaga de candidato a presidente ou a vice-presidente em 2014. A aproximação com o PSD aumenta o seu cacife para disputas futuras.

“O PSD surgiu integrado ao PSB em muitos lugares. Esse gesto do prefeito Kassab só nos aproxima ainda mais”, declara Eduardo Campos.

Fonte: Blog do Fernando Rodrigue

Nenhum comentário: