sábado, 3 de setembro de 2011

O linchamento de José Dirceu

A serviço da oposição, Veja abusa da liberdade de imprensa
Esta semana corri à única banca de jornal existente em Tucuruí para comprar um dos poucos exemplares da famigerada revista Veja existentes na prateleira. A edição, que saiu no derradeiro dia de agosto traz na capa uma manchete sensacionalista, “o poderoso chefão”, acompanhada da foto do ex-ministro José Dirceu.

O linchamento de Dirceu continua com denúncias amarguradas e de pouca sustância, onde apresenta depoimentos de supostos petistas anônimos. A revista acusa o ex-ministro, dentre outras coisas, de reunir com autoridades do alto escalão do governo, senadores, deputados e também de conspirar contra o governo da presidente Dilma Rousseff.

Até aí nenhuma novidade. Sabemos do sentimento de ódio nutrido pela revista direitista contra o Partido dos Trabalhadores (PT). Acontece que a Veja deixou transparecer sua conduta antiética a lá News of The World, usando imagens de câmeras privativas do Hotel Naoum que não provam nada, montando campana e invadindo a privacidade do ex-ministro e de outras pessoas.

O que Dirceu estaria tramando num quarto de hotel em Brasília? Para a revista, qualquer passo de Dirceu é uma trama, um olhar pode significar uma senha, um comando do mal. O petista responde a um processo por envolvimento no suposto esquema conhecido como “mensalão” e a justiça deve se encarregar de julgar se ele é culpado ou inocente. Não cabe a revista Veja, usando sua condição de imprensa intocável, antecipar esse veredito.

5 comentários:

Anônimo disse...

Ei professo augustoi, pro que voce naõ foi pro PT?

Prof. Augusto Magalhães disse...

O PT também era uma possibilidade, mas acho que o projeto de mudança pra Tucurí passa necessariamente pelo PMDB. Se tiver condições (sei onde estou e sei das minhas limitações) vou lutar dentro do partido pela aliança PMDB/PT. Juntos seremos imbativeis contra a candidatura do atual prefeito.

Anônimo disse...

Compreendo e concordo quando você se refere a limitações, acredito na coligação PMDB/PT como a melhor opção pra Tucuruí, mas vejo que sua escolha pelo PMDB em vez do PT, tem muito mais a ver com seus interesses meramente particulares e oportunistas do que com idelogia política e menos ainda com preocupação com Tucuruí, não é uma crítica pessoal, infelizmente é só uma constatação verificada na maioria das pessoas que mudam de legenda partidária.São os interesses individuais e oportunismo de alguns que muitas vezes acabam impossibilitando uma coligação necessária para superar o império de vaidades de gestores como o nosso, mas não acredito que seja o seu caso, você ainda é peixe pequeno nesse aquário, pelo menos por enquanto né Professor.

Anônimo disse...

É triste, mas apesar de termos uma única banca na cidade ainda assim não a busco como opção de informações através de revista, extamente porque eles só têm a VEJA, que convenhamos já faz muito tempo que não faz questão nenhuma de disfarçar que é mesmo tendenciosa.

Prof. Augusto Magalhães disse...

Para a anônima do dia 9 de setembro de 2011 21:59,

Você deveria pelo menos ter a dignidade de mostrar a cara quando ofende alguém. Sei quem você é. Conheço seu estilo amargurado. Seu choro de fracasso. Sai fora encosto. Não tem nada pra você!