sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Presos em operação são transferidos para casas penais

Serão transferidas nesta sexta-feira (26), para casas penais na Grande Belém, as 17 pessoas presas durante a operação “Lago sob névoa”, coordenada pela Polícia Civil e Ministério Público do Estado, em Tucuruí e Breu Branco, sudeste paraense. A ação policial começou ainda durante a madrugada de quinta-feira, simultaneamente nas duas cidades. Participaram policiais civis de divisões especializadas da capital e interior do Estado, bem como de promotores de Justiça do Grupo Especial de Prevenção e Repressão às Organizações Criminosas (Geproc), vinculado ao Ministério Público, e Grupamento Aéreo do Sistema de Segurança Pública (Graer).
Na ocasião, 25 mandados de busca e apreensão e 13 de prisão preventiva foram cumpridos. Entre os presos, quatro são policiais civis (investigadores), detidos em Tucuruí e Breu Branco. Eles serão levados de imediato para o Presídio Coronel Anastácio das Neves, em Americano, Santa Izabel do Pará. Os demais serão levados a outras casas penais.
Com os presos, diversos objetos foram apreendidos, como seis veículos automotores, um deles blindado; 20 Certificados de Registro de Licenciamento de Veículos, que serviam como garantia de pagamento de entorpecentes; três armas de fogo e várias munições de diversos calibres; jóias, entre cordões, brincos e pulseiras; e 14 aparelhos celulares.
Também foram aprendidas 600 petecas de pasta base de cocaína prontas para serem comercializadas e também meio quilo de pedra de óxi, principal matéria-prima da pasta base de cocaína. Foram ainda encontrados R$ 30 mil em espécie, montante resultante da venda de drogas nos dois municípios do sudeste paraense. Além disso, cerca de R$ 2 milhões em cheques foram recolhidos. A quantia estava em poder de João Cícero de Alencar, 54 anos, conhecido por “João Banana”, considerado o líder da organização criminosa.
As investigações foram presididas pelo delegado Carlos André Viana da Costa, da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), em parceria com o promotor de Justiça José Augusto Nogueira Sarmento e o juiz de Direito Cláudio Hernandes Silva Lima, de Tucuruí. A operação teve ainda a presença do delegado-geral adjunto, Rilmar Firmino de Sousa, e do diretor de Polícia do Interior, delegado Sílvio Batista.
Walrimar Santos – Polícia Civil

Fonte: Agencia Pará

Um comentário:

Anônimo disse...

leia este blog tem denuncias com provas de fotos e videos envolvendo estado e o municipio de tucurui
http://jornaldetucurui.blogspot.com/