sexta-feira, 1 de julho de 2011

Constrangidos, vereadores revogam aumento da passagem

Estudantes compareceram à sessão que revogou aumento da pasagem
Em uma sessão extraordinária convocada às pressas pelo presidente da Câmara Municipal, Vereador Zé Gomes (PPS), a pedido do prefeito, os vereadores, que já estavam gozando de recesso, revogaram, meio constrangidos, o aumento da passagem de ônibus que iria vigorar a partir de hoje,1º de julho.
O valor da passagem, que custa hoje R$ 2,00 iria subir para R$ 2,25 graças a uma lei apresentada pelo executivo e aprovada unanimemente no ano passado pelos próprios vereadores. A decisão de revogar o aumento aconteceu após os estudantes, que fazem parte do Movimento Absurdo, tomarem a atitude radical de fechar, na manhã de ontem, a BR 422 na altura do Posto Petromax, impedindo que os ônibus da Viação Tucuruí seguissem viagem. Antes do fechamento da via, os estudantes já haviam ido ao Ministério Público, onde conseguiram impedir o novo aumento que estava programado para janeiro de 2011. Lá a Viação Tucuruí e a Prefeitura Municipal se comprometeram a não aumentar o preço da passagem até apresentarem um estudo mais detalhado. O que não foi cumprido.
Ao se pronunciarem, os vereadores não faziam mais que se justificar, pois estavam revogando uma decisão tomada pela própria Câmara a pedido do prefeito, que voltou atrás e foi novamente seguido pelos parlamentares. A oposição, ainda mais constrangida, tentou pôr a culpa no executivo, que não teria apresentado uma planilha alternativa à da Viação Tucuruí.
Segundo o presidente do Grêmio da Escola Rui Barbosa - Ensino Médio, Rafael Douglas, um dos líderes do movimento, a revogação do aumento da passagem foi uma vitória dos estudantes e de toda a sociedade. Ele lamentou que a UNEST não tenha dado apoio e nem participado, embora tenha sido convidada várias vezes.
O Movimento Absurdo, que tem sua base nas escolas Rui Barbosa e IFPA, surgiu, segundo Rafael, no dia 27 de outubro do ano passado na luta contra o aumento abusivo da passagem de ônibus.
Não participaram da Sessão o vereador Titonho (PTB), que está em viagem pelo Nordeste, e a vereadora Dra. Edileuza (PSC), que encontra-se doente, segundo justificou seu substituto na secretaria da mesa, vereador Jones William (PT).

Um comentário:

Anônimo disse...

são os valdivinos romários. Eita recorde de cabeças sem cerebro