terça-feira, 28 de junho de 2011

Tucuruí parou para receber o Galo Elétrico

Foto: independentetucuruí.blogspot.com
O povo tucuruiense parou, ontem (27) à noite, para receber a delegação do Independente, campeão paraense 2011. Depois de uma manhã tranquila, devido ao feriado municipal por conta da conquista, a cidade da energia viveu um momento histórico, marcado por uma carreata que durou mais de duas horas e envolveu pessoas de todas as idades, raças e religiões. O dia amanheceu tranquilo, em Tucuruí, um dia após a conquista do título. Durante a manhã, o centro da cidade esteve pouco movimentado. Nas ruas, apenas bandeiras, faixas e camisas do Galo Elétrico enfeitavam a cidade, que acordou de ressaca.
Com chegada prevista para a parte da tarde, o clima pacífico deu lugar ao agito dos tucuruienses, que deram continuidade à festa iniciada pelos jogadores ainda no gramado do Mangueirão, anteontem, e se estendeu pela noite na capital paraense, o território do “inimigo”. Antes da chegada do ônibus campeão, vários outros transportes coletivos passaram pela entrada da cidade, lotados de pessoas que, com um sorriso estampado no rosto, exibiam o pôster de campeão do Galo Elétrico. Milhares de torcedores foram às ruas de Tucuruí para ver a chegada dos campeões paraenses da temporada.
Com fogos de artifício, bandeiras e buzinas, a torcida fez uma grande festa na entrada de Tucuruí. Antes, os jogadores já haviam parado no município de Breu Branco, onde também receberam homenagens. A multidão começou a se aglomerar por volta de 17 horas, mas a delegação do Galo Elétrico só chegou a Tucuruí mais de uma hora e meia depois. A carreata seguiu pelas ruas da cidade e se encerrou na escadinha, local destinado às comemorações carnavalescas. Ao entrar na avenida com destino ao palco, a delegação do Independente foi aclamada com os gritos de “o campeão chegou, o campeão chegou!”.
 O Galo conquistou corações
 A quantidade de torcedores que se concentrou nas ruas de Tucuruí foi tão grande que surpreendeu aos próprios jogadores do Independente. “Na verdade, a gente já sabia que o povo daqui ia comparecer, mas não dessa forma, com tanta gente. Ficamos felizes por essa recepção, por tudo que eles fizeram por nós”, agradece o meia Gian, um dos principais atletas do time na campanha vitoriosa.
O atacante Joãozinho não desgrudou da taça, fez questão de agarrá-la por muito tempo. A felicidade era tanta que demorou até para cair na real. “Ainda não tinha caído a ficha, mas acho que agora já caiu. Vamos comemorar com a torcida até amanhã (hoje) de manhã”, contava, empolgado. “Eu nunca vi uma coisa assim, um time pequeno, do interior, com uma torcida dessa imensa”, ressalta.
Mesmo depois de encararem uma longa viagem de Belém a Tucuruí, nem o desgaste físico foi capaz de vencer os jogadores do Galo Elétrico. “O cansaço, agora, na verdade, eu nem sinto porque é uma emoção muito grande. Particularmente, eu nunca passei por isso na minha vida, nunca aconteceu isso. Vamos fazer festa, vamos fazer festa porque a gente merece”, contou o lateral esquerdo Fábio Gaucho. Para o torcedor Abelardo Castro, desbancar equipes como Paysandu e Remo valeu muito.
 Já tem uma torcedora símbolo
 Aos 71 anos, a torcedora do Independente Tereza Rodrigues é um dos símbolos do Galo Elétrico. Avó do meio campo Mozart, dona Tereza, como é conhecida, assistiu a todos os jogos do time tucuruiense no estádio Navegantão e também foi ‘pé-quente’ na final, contra o Paysandu, único jogo assistido por ela longe de Tucuruí. “Essa foi a que mais valeu, porque eu voltei de lá campeã”, revela.
Um dia após a conquista do título inédito do Independente, dona Tereza voltou para Tucuruí por volta de 4h, mas às 6h já estava acordada. À espera da delegação do Galo Elétrico, a torcedora fanática se preparou durante a tarde inteira para receber a equipe campeã.
A paixão pelo time começou há pouco mais de dois anos, quando o neto Mozart assinou contrato com o Independente. Hoje, dona Tereza mal consegue explicar o sentimento pelo Galo Elétrico. “Não sei nem como lhe falar, porque a minha paixão por esse Independente é total agora. Até o Mengão, que era o meu time de coração, eu já larguei um pouco”, explica.
Na partida que decidiu o título do Parazão, dona Tereza estava no Mangueirão acompanhada pelos filhos, netos e netas. Aliás, foi de uma das netas que a torcedora recebeu um presente, um galo de gesso, considerado um dos amuletos da sorte de dona Tereza. 
Fonte: Diário do Pará

Um comentário:

Zé Ruela disse...

Tem torcedor do (EX)Papão com dor de cabeça.Também com três GALO no cocoroco não é pra menos.