segunda-feira, 6 de junho de 2011

Debate discute soluções para falta de água nas ilhas

Moradores das ilhas discutem escasses de água potável
Um importante debate promovido pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB)  discutiu neste domingo (05/06) a questão dos recursos hídricos nas ilhas do lago da hidrelétrica. Estiveram presentes no evento várias lideranças populares ligadas ao MAB, moradores das ilhas, vereadores e representantes da prefeitura de Tucuruí.
Com inicio às 09:00 h. na Sede do Paraíso Atlético Clube, a reunião, denominada “Ato Político de Capacitação e Gestão de Recursos Hídricos”, discutiu a possibilidade da instalação inicial de 40 cisternas que deverão armazenar água da chuva nas ilhas para o consumo da população durante o período de seca do lago. O total previsto pela entidade é de 200 cisternas até o final do projeto.
O Prof. Ademilton Andrade, da área de Topografia e Construções Acricolas do Instituto Federal do Pará (IFPA) levou importante contribuição ao debate fazendo uma palestra com considerações técnicas sobre o assunto. Ao final concedeu entrevista ao blog. veja:

Prof. Ademilton
“O problema enfrentado nas ilhas é a dificuldade de acesso à água potável apesar deles (os moradores) estarem cercados por uma água represada do reservatório, mas ele (o reservatório) tem um funcionamento diferente do funcionamento do rio. No verão ele diminui muito seu nível ficando longe das casas exatamente num período em que a família precisa de água para abastecer as residências e para a produção de alimentos.
A iniciativa do MAB visa aproveitar tecnologias que já existem na Região do Semiárido brasileiro, que é a construção de cisternas. Esse problema inclusive tem provocado o êxodo de algumas famílias que moravam nessas áreas. A gente costuma dizer que é um sertão cercado de água.
A dificuldade que os moradores das ilhas podem vir a ter está relacionada à falta de energia elétrica para bombear a água das cisternas para as residências. Mesmo assim, a tecnologia mais recomendável é realmente a de cisternas. Eu acho que o MAB está no caminho certo por que as famílias estão sofrendo muito com a falta de água potável.

Nenhum comentário: