sábado, 25 de junho de 2011

Chega a Belém o articulador do golpe do precatório

Diogo já havia aprontado em Tucuruí
Foi apresentado na tarde de ontem (24), na sede da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), Diogo Costa Carvalho, 29. Ele foi preso em São Luís do Maranhão e é apontado como o principal articulador da quadrilha que desviou cerca de 2 milhões em dinheiro de pagamentos de precatórios (ações de indenização) decretados pela Justiça no Estado de Pernambuco.
O dinheiro foi sacado na agência do Banco do Brasil de Novo Repartimento e, segundo a polícia, contava com a participação da gerente. Outras 10 pessoas já estão presas desde a última quarta-feira (22).
Diogo Costa foi preso também no dia 22, mas só foi apresentado ontem devido ao tempo da viagem de carro de São Luís para Belém. O delegado Henison Jacob Azevedo, titular da Divisão de Repressão a Entorpecentes (DRE), deu mais detalhes da prisão de Diogo. O acusado foi preso no próprio apartamento, no condomínio San Marino, no bairro Olho D’água.
Apreensões
No apartamento de Diogo, foram apreendidos vários objetos que, segundo a polícia, teriam sido adquiridos com o dinheiro das fraudes: televisores, um home theater, relógios de luxo, computadores e farto material para a fabricação de máquinas caça-níqueis. Foi apreendida ainda uma picape Toyota Hillux SW-4 prata, com placa de Brasília, que foi transferida para a sede da DRCO. Um revólver calibre 38 com seis munições também foi apreendido. Diogo foi autuado no Maranhão pelo crime de porte de arma antes de ser transferido para Belém.
O delegado Henison informou que Diogo não reagiu à prisão e que já responde na Justiça pelo crime de roubo qualificado, ocorrido em Tucuruí, em 2004. Diogo foi condenado a oito anos e dois meses de prisão, mas recorre em liberdade da decisão da Justiça. O advogado de Diogo, Hildebrando Barros, falou sobre a prisão de seu cliente. “Ele agora vai prestar depoimento, mas na segunda-feira (28). Só depois iremos nos manifestar. Os fatos vão se esclarecer e ficaremos a par das acusações”.
Sobre a acusação de roubo que responde na Justiça, o advogado de Diogo disse que seu cliente não teve participação direta no crime. “Ele dirigia um carro cujos ocupantes se envolveram em um assalto. Mas ele não teve participação no assalto à residência”, afirmou.
Sobre a participação no esquema que desviou cerca de 2 milhões de reais do Banco do Brasil, Henison Jacob foi contundente. “A prisão dele (Diogo) foi decretada com base em toda a materialidade do inquérito que direciona o acusado como um dos cabeças do esquema. Era ele quem fazia os contatos com as pessoas, tramava e fraudava documentos”, disse o delegado.
O esquema
A fraude montada pela quadrilha foi descoberta pelo Sistema de Segurança do Banco do Brasil em fevereiro passado, quando iniciaram as investigações. O banco descobriu que o dinheiro referente a pagamentos de precatórios, que deveriam ser feitos em Recife, estava sendo sacado na agência do BB de Novo Repartimento.
Por meio de auditoria, descobriu-se que os saques indevidos eram feitos com procurações e documentações falsas. Durante as investigações, descobriu-se que era a gerente do BB de Novo Repartimento, Antonia Lemos de Moraes, que supostamente repassava as informações aos comparsas, que, de posse dos documentos falsos, faziam os saques.

Fonte: Diário do Pará
Foto: www.jornalcorreiopopular.com

Nenhum comentário: