quinta-feira, 30 de junho de 2011

Vandalismo na eleição da ASERT

Chapas fizeram a festa da sujeira na Sete de Setembro
A eleição da ASERT foi com certeza um exemplo de democracia. A entidade se fortalece nesse processo de renovação onde os associados podem escolher livremente quem os representa, ao contrário do que acontece, por exemplo, com a UNEST. Acontece que liberdade não pode ser confundida com libertinagem, como já dizia meu avô, muito menos com vandalismo. Algumas chapas abusaram da liberdade democrática e passaram ao vandalizar a cidade como se pode ver nas fotos.
Apesar de todos esses exemplos de sujeira eleitoral serem repugnantes, a chapa 4 extrapolou todos os limites, batendo o recorde de mal exemplo anti-cidadania: da linha pontilhada da faixa de transito, na Av. Sete de Setembro, puxaram um 4 tentando convencer o eleitor a lhe depositar o voto na urna. Mereceu ficar em último lugar.
A sinalização do trânsito ficou prejudicada
Pra quem não sabe, a linha pontilhada diz ao motorista que a via permite ultrapassagem e se é branca indica ainda que é via de mão única. Já pensou se a cada eleição os concorrentes resolvessem bagunçar a sinalização do trânsito? Esse crime não deveria passar em branco, os responsáveis pelas chapas 2 e 4 deveriam ser, no mínimo, advertidos e “convidados” a limpar a sujeira que fizeram. Os cidadãos de Tucuruí agradeceriam.
Quem é que vai pagar por isso?

Belo Monte: sangria fiscal permanecerá?

Se não houver, nos próximos anos, nenhuma mudança na legislação tributária, notadamente no tocante à cobrança do ICMS, o Estado do Pará vai perder integralmente a receita gerada pela energia da Hidrelétrica de Belo Monte, cuja construção deve ser iniciada em menos de um mês. Vai se repetir, assim, em escala ampliada, o fenômeno das perdas que o Pará já sofre hoje com parte da receita tributária da usina de Tucuruí, em montante que pode ser estimado, com base nos números disponíveis, em mais de R$ 1 bilhão por ano.
Como Belo Monte terá capacidade de geração superior a Tucuruí e o Pará já conta hoje com grande volume de energia excedente, um cálculo ligeiro projeta em valor próximo de R$ 2 bilhões anuais o montante das perdas com ICMS que o Pará vai experimentar com a usina do Xingu. Nos dois casos – Tucuruí e Belo Monte –, o Pará deixa de arrecadar imposto sobre toda a energia comercializada para fora do Estado. A cobrança do ICMS, pelo que determina a legislação, só incide sobre a energia consumida dentro do Pará. A energia exportada vai gerar receita para os Estados importadores.
A Eletronorte informou esta semana que, com a nova regulamentação do setor elétrico, o valor de energia da Hidrelétrica de Tucuruí, para comercialização, passou a ser a sua garantia física, o equivalente a 36,2 milhões de MWh. Desse valor, 34,3 milhões de MWh foram comercializadas através de contratos, em 2010, e a diferença liquidada na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). Do total comercializado através de contratos, nada menos que 23,3 milhões de MWh, ou 68,09% do total, foram para fora do Pará, ficando o Estado com menos de um terço.
Perdas
Apesar da exportação maciça de energia, o consumo interno ainda rendeu ao Pará no ano passado, em receita de ICMS, R$ 527,5 milhões, sendo a quase totalidade (R$ 506,8 milhões) decorrente da energia comercializada pela Celpa. A Eletronorte recolheu de ICMS no ano passado R$ 20,7 milhões, sendo R$ 4,2 milhões incidentes sobre a receita de contratos com consumidores livres no Pará e R$ 16,5 milhões relativos a quatro contratos de fornecimento cativo, firmados com grandes mineradoras.
O potencial de arrecadação do Pará abortado pela legislação que rege o destrambelhado sistema tributário nacional, porém, não se resume à sangria do ICMS incidente sobre a energia elétrica. Aliás, esta nem chega a ser a maior perda. A desoneração das exportações, estabelecida pela Lei Kandir em 1996, já provocou sobre as finanças do Pará um estrago avaliado em mais de R$ 21 bilhões, segundo cálculos conservadores. Seria dinheiro suficiente para fazer 70 Alças Viárias ou cerca de 850 mil casas populares.
E não é só isso. Embora dê uma contribuição formidável para o balanço cambial do Brasil, ao produzir o segundo maior saldo da balança comercial do país – só no ano passado foram quase US$ 12 bilhões –, o Pará está ainda submetido a uma concorrência profundamente desleal com seus vizinhos da região Norte. De todos os Estados da Amazônia, apenas o Pará não tem áreas incentivadas que exonerem ou reduzam as alíquotas dos tributos que incidem sobre a produção, a comercialização e sobre o comércio exterior.
Fonte: Diário do Pará

Justiça manda Eletronorte compensar Assurini

Índia Assurini na Aldeia
A empresa pode até perder a licença de operação da hidrelétrica se não implementar o programa de medidas compensatórias identificadas em estudo da própria Eletronorte
A Justiça Federal em Marabá (PA) determinou que a Eletronorte implante programa de medidas compensatórias e mitigatórias em favor da comunidade indígena Asurini do Trocará, impactada pela construção da usina hidrelétrica de Tucuruí. O juiz Carlos Henrique Borlido Haddad deu prazo de 60 dias e determinou multa diária de R$ 10 mil e a cassação da licença de operação da usina, em caso de descumprimento da decisão.
A decisão atende a pedido do Ministério Público Federal, através do procurador da República em Marabá, Tiago Modesto Rabelo. O processo se baseia em estudo de impactos socioambientais, patrocinado pela própria Eletronorte e acompanhado pela Funai, que identificou os danos que vinham sendo causados aos índios desde a implantação do empreendimento.
O estudo foi realizado por recomendação do MPF entre os anos de 2005 e 2006, mas até hoje a Eletronorte não implantou o programa de ações compensatórias apontadas por ela mesma como necessárias à mitigação dos impactos.
De acordo com o estudo, a barragem provocou graves impactos sobre a Terra Indígena Trocará, agrupados em três categorias: “(1) ocupação do entorno, com descontrole do acesso de pessoas à terra indígena, conflitos com fazendeiros e assentamentos do entorno, além da substituição da língua nativa pelo português, introdução de DST, entre outros; (2) crescimento de Tucuruí, com uso inadequado de energia elétrica, aumento do alcoolismo e tabagismo, facilidade de crédito para aquisição de bens de consumo, casamento com não- índios, entre outros, e (3) alteração das águas do rio Tocantins, com redução de espécies da ictiofauna e mudanças dos hábitos alimentares” (ictiofauna – fauna de peixes da região)
Em diversas reuniões com o MPF, a Funai e a comunidade indígena, a Eletronorte chegou a reconhecer a necessidade de implantação do programa, tendo concordado em apresentá-lo, mas vinha descumprindo os compromissos assumidos, frustrando as expectativas da comunidade e adiando indefinidamente as ações compensatórias.
O juiz concorda com o MPF que há “perigo de dano irreparável, decorrente do processo de dizimação da cultura indígena. Trata-se de processo gradativo que, se não for interrompido, pode levar ao genocídio da comunidade indígena em questão”.
A decisão é do dia 16 de junho e a Eletronorte ainda pode recorrer.  O MPF também não descarta a possibilidade de acordo judicial, desde que favorável aos interesses da comunidade indígena. O processo tramita com o número 9149-40.2010.4.01.3901.
Fonte: MPF/PA – www.ecoagencia.com.br

Galo já está caçando jogadores no mercado

Novos jogadores devem vir para o Independente
O Independente, fundado na Marambaia nos anos 70 e ‘adotado’ por Tucuruí em 2009, irá participar pela primeira vez da Série D. No momento, apenas 18 jogadores estão no clube e a reapresentação oficial está marcada para a próxima terça-feira (5). Na semana que vem também está sendo programado um jogo festivo contra o Águia de Marabá, que tem por objetivo arrecadar dinheiro para o clube e realizar a entrega de faixas para os campeões estaduais.
O presidente do clube, Deley Santos, disse que a base campeã será mantida, mas alguns jogadores e um certo “traíra” não iriam continuar no clube: Osmair (Brasiliense-DF), Dida (Paysandu), Fábio Gaúcho (Paysandu) e Marcelo Peabirú (ainda sem clube) já foram desligados do Independente. Sobre a polêmica saída do arqueiro Dida na véspera da finalíssima, Deley foi comedido, pois desmentiu tudo para o BOLA no domingo, cara a cara com o arqueiro. “Não quis ‘queimar’ o Dida naquela hora, mas é claro que teve coisa feia envolvida, qualquer um pode deduzir isso”, disse.
Questionado sobre os reforços, Deley revelou acerto financeiro com o atacante Ró, mas “ainda falta o Remo liberar”. Na mira, estão Diego Barros e Jaílton Paraíba, ex-Remo; os cametaenses Jaílton, zagueiro, e Mocajuba, lateral, e a surpresa do dia: o goleiro Adriano, ex-Tuna, está nos planos. Além disto, os bicolores Billy e Paulo Wanzeler foram oferecidos. O atacante Mendes, ex-Paysandu, também pode acertar. “O Mendes teria que se adequar ao teto salarial, que é de R$8 mil”, finalizou o dirigente.
Fonte: Diário do Pará

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Telma será a nova presidente da ASERT

Profª. Telma atua no sintepp e agora assumirá a direção da ASERT
A chapa 1, que tinha como candidata à presidencia a professora Telma, venceu a eleição para a Associação dos Servidores Públicos Municipais de Tucuruí (ASERT) que aconteceu ontem (28), obtendo 451 votos. As outras chapas obtiveram a seguinte votação: chapa 5 (segundo lugar) com 356 votos; Chapa 2 (terceiro lugar) com 325 votos; Chapa 3 (quarto lugar) com 225 votos; Chapa 6 (quinto lugar) com 196 votos e chapa 4 (sexto lugar) com 158 votos. Veja o gráfico abaixo.

Clique para ampliar
 
Conheça os membros da nova diretoria da ASERT:

Clique para ampliar

terça-feira, 28 de junho de 2011

Blog da Sandra Batista

Clique na imagem para acessar o blog da Sandra Batista
Mais uma boa pedida chega à blogosfera. É o blog da vice-prefeita de Ananindeua, Sandra Batista. Sandra é militante de esquerda desde o movimento estudantil. Formada em direito e economia, sempre denunciou as injustiças cometidas contra o povo. Exatamente por isso ficou conhecida como MULHER DE CORAGEM. Foi vereadora de Belém e deputada estadual por dois mandatos.
Quando morava em Belém e militava no PCdoB, tive a honra de compor sua assessoria na Assembléia Legislativa, onde cumpria principalmente funções ligadas à comunicação e propaganda do mandato. Bem vinda Sandra Batista à minha lista de blogs preferidos. Seremos sempre companheiros na luta contra a injustiça.

Tucuruí parou para receber o Galo Elétrico

Foto: independentetucuruí.blogspot.com
O povo tucuruiense parou, ontem (27) à noite, para receber a delegação do Independente, campeão paraense 2011. Depois de uma manhã tranquila, devido ao feriado municipal por conta da conquista, a cidade da energia viveu um momento histórico, marcado por uma carreata que durou mais de duas horas e envolveu pessoas de todas as idades, raças e religiões. O dia amanheceu tranquilo, em Tucuruí, um dia após a conquista do título. Durante a manhã, o centro da cidade esteve pouco movimentado. Nas ruas, apenas bandeiras, faixas e camisas do Galo Elétrico enfeitavam a cidade, que acordou de ressaca.
Com chegada prevista para a parte da tarde, o clima pacífico deu lugar ao agito dos tucuruienses, que deram continuidade à festa iniciada pelos jogadores ainda no gramado do Mangueirão, anteontem, e se estendeu pela noite na capital paraense, o território do “inimigo”. Antes da chegada do ônibus campeão, vários outros transportes coletivos passaram pela entrada da cidade, lotados de pessoas que, com um sorriso estampado no rosto, exibiam o pôster de campeão do Galo Elétrico. Milhares de torcedores foram às ruas de Tucuruí para ver a chegada dos campeões paraenses da temporada.
Com fogos de artifício, bandeiras e buzinas, a torcida fez uma grande festa na entrada de Tucuruí. Antes, os jogadores já haviam parado no município de Breu Branco, onde também receberam homenagens. A multidão começou a se aglomerar por volta de 17 horas, mas a delegação do Galo Elétrico só chegou a Tucuruí mais de uma hora e meia depois. A carreata seguiu pelas ruas da cidade e se encerrou na escadinha, local destinado às comemorações carnavalescas. Ao entrar na avenida com destino ao palco, a delegação do Independente foi aclamada com os gritos de “o campeão chegou, o campeão chegou!”.
 O Galo conquistou corações
 A quantidade de torcedores que se concentrou nas ruas de Tucuruí foi tão grande que surpreendeu aos próprios jogadores do Independente. “Na verdade, a gente já sabia que o povo daqui ia comparecer, mas não dessa forma, com tanta gente. Ficamos felizes por essa recepção, por tudo que eles fizeram por nós”, agradece o meia Gian, um dos principais atletas do time na campanha vitoriosa.
O atacante Joãozinho não desgrudou da taça, fez questão de agarrá-la por muito tempo. A felicidade era tanta que demorou até para cair na real. “Ainda não tinha caído a ficha, mas acho que agora já caiu. Vamos comemorar com a torcida até amanhã (hoje) de manhã”, contava, empolgado. “Eu nunca vi uma coisa assim, um time pequeno, do interior, com uma torcida dessa imensa”, ressalta.
Mesmo depois de encararem uma longa viagem de Belém a Tucuruí, nem o desgaste físico foi capaz de vencer os jogadores do Galo Elétrico. “O cansaço, agora, na verdade, eu nem sinto porque é uma emoção muito grande. Particularmente, eu nunca passei por isso na minha vida, nunca aconteceu isso. Vamos fazer festa, vamos fazer festa porque a gente merece”, contou o lateral esquerdo Fábio Gaucho. Para o torcedor Abelardo Castro, desbancar equipes como Paysandu e Remo valeu muito.
 Já tem uma torcedora símbolo
 Aos 71 anos, a torcedora do Independente Tereza Rodrigues é um dos símbolos do Galo Elétrico. Avó do meio campo Mozart, dona Tereza, como é conhecida, assistiu a todos os jogos do time tucuruiense no estádio Navegantão e também foi ‘pé-quente’ na final, contra o Paysandu, único jogo assistido por ela longe de Tucuruí. “Essa foi a que mais valeu, porque eu voltei de lá campeã”, revela.
Um dia após a conquista do título inédito do Independente, dona Tereza voltou para Tucuruí por volta de 4h, mas às 6h já estava acordada. À espera da delegação do Galo Elétrico, a torcedora fanática se preparou durante a tarde inteira para receber a equipe campeã.
A paixão pelo time começou há pouco mais de dois anos, quando o neto Mozart assinou contrato com o Independente. Hoje, dona Tereza mal consegue explicar o sentimento pelo Galo Elétrico. “Não sei nem como lhe falar, porque a minha paixão por esse Independente é total agora. Até o Mengão, que era o meu time de coração, eu já larguei um pouco”, explica.
Na partida que decidiu o título do Parazão, dona Tereza estava no Mangueirão acompanhada pelos filhos, netos e netas. Aliás, foi de uma das netas que a torcedora recebeu um presente, um galo de gesso, considerado um dos amuletos da sorte de dona Tereza. 
Fonte: Diário do Pará

Empresa ligada à Rede Celpa utilizava trabalho escravo em Pacajá


Fiscalizações do Grupo Móvel nacional e dos grupos estaduais de combate ao trabalho escravo libertaram 66 pessoas de condições análogas à de escravo na região Norte do País. As ações ocorreram entre maio e junho deste ano.
A última operação, no Pará, encontrou trabalhadores em condições análogas à escravidão prestando serviços para companhias de energia elétrica. Desta vez foram 34 pessoas em Pacajá (PA). O grupo estava trabalhando para a empresa terceirizada Eletro Junior, que presta serviços para a Companhia de Energia Elétrica do Pará (Celpa). A ação foi realizada pelo Grupo Móvel de Fiscalização no último dia 15 de junho.
O grupo fazia o roço do mato embaixo da rede elétrica para evitar que as árvores atingissem os fios de alta tensão e provocasse queda de energia. Os empregados iniciaram o serviço em maio e desde então passaram a viver em condições degradantes. A empresa alojou os empregados em uma antiga serraria, onde não havia instalações sanitárias ou chuveiros. A água consumida vinha de um poço e não passava por nenhum processo de filtragem.
Por falta de treinamento e equipamentos de segurança, os empregados corriam riscos de serem eletrocutados. No início de junho, três trabalhadores levaram choques elétricos, mas a empresa não chegou a emitir a Comunicação de Acidente de Trabalho. Além disso, as vítimas não possuíam assinatura na Carteira de Trabalho e da Previdência Social (CTPS).
Após a fiscalização, a Eletro Junior arcou com as verbas trabalhistas devidas, que totalizaram R$ 48 mil. A Celpa assinou um Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público do Trabalho (MPT), comprometendo-se a não contratar terceirizadas que não sigam as normas de segurança e saúde do trabalho.
Fonte: www.reporterbrasil.com.br
Por Bianca Pyl 

Viajar de ônibus vai ficar mais caro no mês de julho

Teminal Rodoviário de Belém
A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) autorizou ontem o reajuste de 4,63% nas passagens de ônibus semiurbano, em percurso de até 75 quilômetros.
Segundo a resolução da agência, publicada no Diário Oficial da União, o reajuste entrará em vigor a partir de 31 de julho.
Na sexta-feira passada, a ANTT autorizou, por meio de outra resolução, o reajuste de 5,01% sobre as tarifas de transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros em percurso de longa distância (acima de 75 quilômetros). Nesse caso, a vigência do reajuste é a partir de 1º de julho. Os reajustes são autorizados a cada 12 meses.
Segundo a ANTT, o preço fica sujeito a arredondamento, com o objetivo de facilitar o troco. O acréscimo de um ano é compensado no reajuste do ano seguinte.
Ao valor da passagem devem ainda ser adicionados, quando for o caso, a tarifa de embarque específica do terminal, o ICMS estadual incidente sobre a tarifa e o rateio do pedágio, por passageiro.

Fonte: www.destakjornal.com.br

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Ver. Tom: "Eu tenho posição firmada com relação a isso. Eu sou contra a divisão do Estado do Pará"


O debate sobre a divisão do Estado do Pará continua e daqui pra diante a tendência é que os discursos se inflamem ainda mais. Trago agora a opinião do vereador de Tucuruí e sindicalista atuante na área da educação, Tom Bonfim (PT). Nascido em 1974 na cidade de Capanema, no nordeste paraense, migrou para Tucuruí em 1986, sendo eleito para seu primeiro mandato de vereador nas eleições de 2008. Em entrevista com o vereador, repeti a mesma pergunta que fiz aos outros entrevistados: você é a favor da divisão do Pará? Com a palavra Tom Bonfim:
Ver. Tom Bonfim

"O que está no imaginário é que é fundamental dividir pra vida melhorar e essa não é uma verdade. Vamos imaginar o tamanho do Brasil. Será que teríamos que dividir o Brasil também?"

“Eu estava vendo semana passada que tramitam no Congresso Nacional mais de cinquenta pedidos de criação de novos estados, então eu acho que esse sentimento separatista em alguns casos até procede, mas o certo é que a coisa é bem mais pragmática do que isso. Não basta apenas ter o sentimento e perceber que os governos não conseguem atingir e transformar a vida das pessoas nos rincões desse estado, que realmente é muito grande. Eu não acredito que a divisão vá resolva esse problema. Eu tenho posição firmada com relação a isso. Eu sou contra a divisão do Estado do Pará. Não me deixo embarcar por questões eleitorais quando da formulação da minha posição.
Há um movimento, que não é recente, pró criação do Estado do Carajás, mas, paralelo a isso, surgiu um debate, inclusive do IPEA para se verificar a viabilidade econômica do Estado do Carajás e se verificou que o Estado não é viável do ponto de vista econômico. Ele não se sustenta.
Fora isso teríamos, um impacto: a nova demanda que surgiria com a criação de uma nova Assembléia Legislativa, criação de cargos federais, de senadores (no mínimo três). Certamente esse último caso, de criação de cargos para o Congresso Nacional, seria positivo para o Norte como um todo. É mais representatividade, já que o Norte do Brasil é pouco representado no Congresso por que tem poucos estados e a população é pequena, então consequentemente o número de deputados federais é menor. E por termos poucos estados a quantidade de senadores também é menor. Daí a conseqüência de tudo seguir no rumo de Sul e Sudeste do país.
Mas eu acho que é importante o município de Tucuruí estar pautando o debate. Tucuruí ficaria na fronteira. Daqui pra Marabá é quase a distância que daqui pra Belém e no caso da divisão, a capital certamente seria Marabá entre os 39 municípios que comporiam o novo Estado do Carajás. Mas o que iria mudar do ponto de vista estratégico pra gente aqui de Tucuruí? O que iria mudar para as pessoas? Por muito tempo a referência continuaria sendo Belém por que Marabá não tem a mesma estrutura que Belém tem e pra ter demorará, se é que um dia chegará a isso, décadas e décadas.
Eu vejo a divisão com muita cautela. Por isso que eu não saio por aí divulgando qual é a minha posição pessoal pra não formar as pessoas por que seria um debate isolado.
O que está no imaginário é que é fundamental dividir pra vida melhorar e essa não é uma verdade. Vamos imaginar o tamanho do Brasil. Será que teríamos que dividir o Brasil também pro governo central conseguir chegar em Roraima, no Rio Grande do Norte ou no Rio Grande do Sul? Então eu não acho que a saída seja a divisão, pelo contrário. Eu acho que tem que ser discutida uma pauta programática para o Estado.
Teremos a capital em Belém? Tudo bem, mas qual é o plano de metas do governo para as regiões Oeste, Sul e Sudeste? Eu acho que o caminho é por aí, o de fazer o governo do Estado olhar com mais atenção e trazer o desenvolvimento, sobretudo desenvolvimento sustentável por que estamos falando da Região Amazônica. Eu acho que o capital humano, a inteligência humana teria que se voltar pra isso, pra pensar como é que nós vamos desenvolver essas regiões que sempre foram abandonadas.
O Sul do Estado, por exemplo, tem uma relação muito mais forte com o Centro-Oeste do país. O Oeste tem relações com outros estados, e agora com essas obras do Estado de Rondônia, a relação será muito maior com aquele Estado como sempre foi com o Mato Grosso.
Então eu acho que a gente tem que reformular o debate, principalmente aqueles que estão interessados em dessombrear essa situação e reorientar o debate no sentido de qual é a demanda propositiva do governo, qual é a articulação dos consórcios dessas regiões, das prefeitura dessas regiões para o nosso desenvolvimento sustentável.”

domingo, 26 de junho de 2011

Tinha que ser com sofrimento: Independente é campeão

Torcedores se concentraram nas escadarias da Sto. Antônio
O independente saiu na frente e chegou a ter o placar de 3 x 1 a seu favor, mas o Papão, que jogava em casa, não se deu por vencido e empatou o jogo em 3 x 3 levando a decisão para os pênaltis. Não deu outra, Independente na cabeça com placar de 3 x 0. Merecidamente o galo é campeão. Parabéns!
Em Tucuruí a torcida se concentrou na Escadaria da Santo Antônio, onde a prefeitura instalou um telão que transmitia ao vivo o jogo pela TV Cultura. Veja imagens:
 
A estimativa é de cerca de 8 mil pessoas nas escadarias

Todos apreensivos na cobrança dos penaltis
Congestionamento nas ruas que dão acesso à Sto. Antônio

Tudo pronto para a eleição da ASERT

Elma Barroso: "Estamos fazendo o possível e o impossível para que essa eleição fique realmente marcada na questão de organização"
A eleição para a Associação dos Servidores Públicos Municipais de Tucuruí (ASERT) está marcada para o próximo dia 28 de junho (terça-feira) e acontecerá na Sede da Maçonaria, localizada na Av. Sete de Setembro, das 8:00 h. da manhã até as 18:00 h. O pleito está sendo muito disputado e as campanhas das seis chapas concorrentes já estão há tempos nas ruas com cartazes, adesivos e até jingles. A propaganda se dá também via Blogs e rádios.
As chapas concorrentes à diretoria executiva e seus respectivos candidatos à presidência da entidade são Chapa 1 (Continue Valorizando o Que é Nosso. Pres. Telma); Chapa 2 (Trabalho e Eficiência. Pres. Raimundo concursado); Chapa 3 (Compromisso e Responsabilidade. Pres. Jurailson Nava); Chapa 4 (Respeito e Compromisso. Pres. Núbia Marília). Chapa 5 (ASERT Para Todos - Compromisso com o Servidor. Pres. José Iran) e Chapa 6 Asert Forte e Mais Humana. Pres. José Maria). Além da diretoria executiva, também está em disputa o Conselho fiscal, que no processo não teve muita visibilidade.
Hoje pela manhã conversei com a presidente da Comissão Eleitoral, Sra. Elma Barroso, que é servidora municipal na área da educação e associada à entidade desde 1999. Ela me deu mais alguns detalhes sobre a eleição que constam na entrevista a seguir:

Prof. Augusto: Está tudo pronto para a eleição na terça?

Elma: Até o momento sim. Estamos com tudo pronto, certos de que na terça-feira tudo ocorrerá de maneira ordeira e pacifica. Estamos contando sempre com o apoio técnico que iremos ter, como é o caso dos mesários e os fiscais que as chapas irão indicar, cujo objetivo é que o servidor se sinta seguro no seu direito de votar. Teremos também o apoio da atual diretoria no sentido de estar nos disponibilizando transporte, alimentação e coisas desse gênero pra que a gente não precise se ausentar do local de votação.

Prof. Augusto: Como você avalia a participação da comissão eleitoral até aqui?

Elma: A comissão eleitoral vem se doando muito além do que deveria. Estamos aqui no horário de atendimento, sábados e domingos. Temos trabalhado até nos feriados. Estamos fazendo o possível e o impossível para que essa eleição fique realmente marcada na questão de organização.

Prof. Augusto: Por que alguns nomes foram impugnados durante o processo?

Elma: O candidato ao dar entrada na sua inscrição verificamos se consta realmente o que está no edital, após o que fazemos uma análise. Alguns membros da chapa 5, especificamente falando, foram impugnados por que dias depois que recebemos sua inscrição fomos informados de que o Paulo de Tarso e o Nivaldo haviam sido excluídos do quadro de associados e o estatuto diz que só pode participar da eleição, votar e ser votado quem é associado. Portanto nós tivemos que pedir a substituição, impugnando o nome dos dois e dando à chapa a condição de fazer a substituição, sendo exatamente o que eles fizeram. Tivemos mais três impugnações de chapas que concorriam para o Conselho Fiscal. As chapas 2, 3 e 4 foram impugnadas. Num dos casos o servidor não tinha contribuição de doze meses como manda o Estatuto apenas seis. Informamos ao representante da chapa que fizesse a substituição, demos o prazo e ele não obedeceu. Com as duas outras ocorreu da mesma forma. Tiveram problemas e não fizeram as substituições no tempo hábil, sendo  impugnadas. Então nós estamos trabalhando e estamos neutros em qualquer situação. Estamos fazendo aquilo que o regimento e o estatuto nos diz para fazer.

Prof. Augusto: Até onde vai a participação da Comissão eleitoral nesse processo?

Elma: A participação da Comissão Eleitoral iniciou-se a partir do momento em que nós fomos eleitos e vai se dar até a posse da diretoria eleita, ou seja, até final de agosto estaremos atuando.

sábado, 25 de junho de 2011

Impunidade à vista: prefeito de Tucuruí escapa de ação por improbidade administrativa

Segundo informou o blog do Parsifal (pjpontes.blogspot.com), a juíza da Comarca de Tucuruí-PA, Rosa Fonseca, extinguiu a ação de improbidade administrativa movida pela Promotoria de Justiça do município contra o prefeito Sancler Ferreira.
O motivo teria sido a redação da ação que pedia que a instituição prefeitura, e não a pessoa do prefeito, respondesse pelo crime de improbidade administrativa. Sancler não prestou contas dos recursos gastos em sua administração. A ação do MPE foi motivada inicialmente devido a denuncias de cinco vereadores: Jones William (PT), Antonio Alberto Braga (PT), Tom Bonfim (PT), Edileuza Meireles (PSC) e Antonio Carlos de Souza (PTB).
Segundo Parsifal, que é advogado, seria sensato não recorrer e sim “impetrar nova ação de improbidade, corrigindo o polo passivo, para que justiça possa então analisar o mérito”. É que recorrer levaria muito mais tempo, favorecendo o réu desse processo.
O interessante é que nesse caso, de extinção do processo contra o prefeito, a justiça agiu em tempo recorde, pois a ação do MPE tramita a menos de um mês naquela comarca.

Chega a Belém o articulador do golpe do precatório

Diogo já havia aprontado em Tucuruí
Foi apresentado na tarde de ontem (24), na sede da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), Diogo Costa Carvalho, 29. Ele foi preso em São Luís do Maranhão e é apontado como o principal articulador da quadrilha que desviou cerca de 2 milhões em dinheiro de pagamentos de precatórios (ações de indenização) decretados pela Justiça no Estado de Pernambuco.
O dinheiro foi sacado na agência do Banco do Brasil de Novo Repartimento e, segundo a polícia, contava com a participação da gerente. Outras 10 pessoas já estão presas desde a última quarta-feira (22).
Diogo Costa foi preso também no dia 22, mas só foi apresentado ontem devido ao tempo da viagem de carro de São Luís para Belém. O delegado Henison Jacob Azevedo, titular da Divisão de Repressão a Entorpecentes (DRE), deu mais detalhes da prisão de Diogo. O acusado foi preso no próprio apartamento, no condomínio San Marino, no bairro Olho D’água.
Apreensões
No apartamento de Diogo, foram apreendidos vários objetos que, segundo a polícia, teriam sido adquiridos com o dinheiro das fraudes: televisores, um home theater, relógios de luxo, computadores e farto material para a fabricação de máquinas caça-níqueis. Foi apreendida ainda uma picape Toyota Hillux SW-4 prata, com placa de Brasília, que foi transferida para a sede da DRCO. Um revólver calibre 38 com seis munições também foi apreendido. Diogo foi autuado no Maranhão pelo crime de porte de arma antes de ser transferido para Belém.
O delegado Henison informou que Diogo não reagiu à prisão e que já responde na Justiça pelo crime de roubo qualificado, ocorrido em Tucuruí, em 2004. Diogo foi condenado a oito anos e dois meses de prisão, mas recorre em liberdade da decisão da Justiça. O advogado de Diogo, Hildebrando Barros, falou sobre a prisão de seu cliente. “Ele agora vai prestar depoimento, mas na segunda-feira (28). Só depois iremos nos manifestar. Os fatos vão se esclarecer e ficaremos a par das acusações”.
Sobre a acusação de roubo que responde na Justiça, o advogado de Diogo disse que seu cliente não teve participação direta no crime. “Ele dirigia um carro cujos ocupantes se envolveram em um assalto. Mas ele não teve participação no assalto à residência”, afirmou.
Sobre a participação no esquema que desviou cerca de 2 milhões de reais do Banco do Brasil, Henison Jacob foi contundente. “A prisão dele (Diogo) foi decretada com base em toda a materialidade do inquérito que direciona o acusado como um dos cabeças do esquema. Era ele quem fazia os contatos com as pessoas, tramava e fraudava documentos”, disse o delegado.
O esquema
A fraude montada pela quadrilha foi descoberta pelo Sistema de Segurança do Banco do Brasil em fevereiro passado, quando iniciaram as investigações. O banco descobriu que o dinheiro referente a pagamentos de precatórios, que deveriam ser feitos em Recife, estava sendo sacado na agência do BB de Novo Repartimento.
Por meio de auditoria, descobriu-se que os saques indevidos eram feitos com procurações e documentações falsas. Durante as investigações, descobriu-se que era a gerente do BB de Novo Repartimento, Antonia Lemos de Moraes, que supostamente repassava as informações aos comparsas, que, de posse dos documentos falsos, faziam os saques.

Fonte: Diário do Pará
Foto: www.jornalcorreiopopular.com

sexta-feira, 24 de junho de 2011

E eles ainda querem dirigir o país

Indio da Costa e José Serra durante a campanha para a presidência em 2010
A oposição está perdida mesmo. Sem conseguir voltar ao poder, está se entregando à bebida do demônio. Depois de Aécio Bebum Neves ter molhado o bico e ser pego pela polícia dirigindo, agora foi a vez do ex-vice de José Serra, Índio da Costa, ser parado pelos homens da Lei Seca.
Ele teve a carteira de motorista apreendida na madrugada desta quinta-feira (23) no Rio de Janeiro após se recusar a fazer o teste do bafômetro e só foi liberado após a apresentação de um motorista habilitado. Eta bebidinha do demônio!

Pacajá publica retificações do edital 001/2011

A prefeitura de Pacajá, Pará, informou que o número de vagas destinadas ao cargo de Professor de Educação Básica II - Matemática passa a ser de 10 imediatas e 12 para cadastro de reserva, já para o cargo de Professor de Educação Básica II - Geografia será de 7 imediatas e 7 reservas.
A realização das provas, por sua vez, passará aos dias 21 e 22 de agosto de 2011, no período da manhã a partir das 8h e na parte da tarde , às 14h.
Para mais informações, consulte o edital completo e suas alterações.

Fonte: www.pciconcursos.com.br

Pacajá oferece 810 vagas em todos os níveis

A Prefeitura de Pacajá, no Pará, lançou edital de concurso público para preencher 810 vagas, entre cargos de todos os níveis de escolaridade. Deste total, 461 oportunidades são imediatas e 349 para formar banco reserva. De acordo com o edital de abertura, a remuneração inicial varia entre R$ 545 e R$ 6.100.
Quem possui nível fundamental pode disputar os cargos de servente, merendeira, vigia, gari, coveiro, auxiliar de serviços gerais, mensageiro, jardineiro, servente de pedreiro, motorista de veículos leves, operador de máquinas leves e operador de máquinas pesadas, motorista de veículos pesados, soldador, mecânico, operador de equipamento de sonorização, auxiliar de operador de equipamento de sonorização, microscopista e auxiliar de mecânico.
Os cargos de nível médio são de assistente administrativo, fiscal de tributos, secretária administrativa, visitador social, agente de vigilância sanitária, auxiliar de laboratório, agente de vigilância epidemiológica, regente de fanfarra, regente de escola de música, monitor de banda de música, técnico em enfermagem, técnico em higiene dental, técnico agropecuário, técnico em contabilidade, técnico em radiologia, técnico em meio ambiente, técnico em informática e professor.
Candidatos com nível superior podem fazer concurso para advogado, educador ambiental, engenheiro florestal, biólogo, engenheiro agrônomo, engenheiro civil, médico cirurgião, médico clínico geral, odontologista, enfermeiro, médico veterinário, nutricionista, assistente social, farmacêutico bioquímico, médico pediatra, médico ginecologista e obstetra, fisioterapeuta, psicólogo, psiquiatra e professor, entre outros.
As inscrições estão abertas e vão até o dia 15 de julho, por meio do site www.fundacaojoaodovale.com.br, organizador do certame. O custo da taxa de inscrição varia entre R$ 35 e R$ 80.
Fonte: Diário do Pará

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Parte da quadrilha de Novo Repartimento já está em Belém

Os empresários Dogival e Etelvina e a gerente do BB, Antônia Lemos
Foram transferidos para Belém na tarde desta quarta-feira, 22, três dos sete presos pela Polícia Civil em Novo Repartimento, sudeste do Estado, durante a operação “Cash Break”. Os empresários Dogival Francisco da Silva e Etelvina Carvalho da Silva e a gerente do Banco do Brasil do município, Antônia Lemos Braga de Moraes, tiveram mandado de prisão preventiva decretado pela Justiça do Pará acusados de integrar um esquema fraudulento que resultou no desvio de R$ 2 milhões provenientes do pagamento de precatórios de contas bancárias em Recife para o município de Novo Repartimento.
Os presos foram transportados para a capital em um vôo fretado que chegou ao Aeroporto Brigadeiro Protásio de Oliveira por volta de 13h30. Sob escolta de policiais da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), sob comando dos delegados Ivanildo Santos e Beatriz Silveira, os presos foram levados até a sede do órgão, que fica no bairro da Pedreira.
Na DRCO, outro acusado de envolvimento no crime, o político Roberto Aparecido de Passos, vice-prefeito de Novo Repartimento, já aguardava os demais envolvidos. Ele foi preso pela manhã, em um hotel em Belém onde estava hospedado para participar de um congresso de prefeitos. As prisões foram realizadas simultaneamente, em Novo Repartimento, Belém, Marabá, - onde foi preso Bethoven dos Santos - e São Luiz do Maranhão - cidade onde a polícia capturou Diogo Costa Carvalho. Com ele foi apreendido um veículo SW4, que teria sido comprado com o dinheiro desviado no esquema. Na casa de Etelvina foram encontrados outros cinco carros de luxo, além de documentos com indícios de fraudes.
De acordo com o delegado João Bosco Rodrigues, diretor de Polícia Especializada, durante o cumprimento das prisões preventivas em Novo Repartimento, os investigadores encontraram um revólver calibre 38 com seis projéteis na casa de Dogival Francisco da Silva. A arma estava com o filho dele, Israel Francisco da Silva, que foi autuado em flagrante por posse ilegal de arma de fogo.
Ainda conforme o delegado, o bando também é suspeito de envolvimento em fraudes semelhantes cometidas nas cidades de Grajaú e Presidente Dutra, no Maranhão. Os demais presos – Marcleison Brandão de Oliveira, Glauciane Ferreira da Silva, esposa de Dogival; Marta Iris Ribeiro de Souza e Marivaldo de Moraes e Silva, marido da gerente Antônia Moraes, presos em Novo Repartimento; além de Diogo e Bethoven – serão transferidos ainda nesta quarta-feira para a capital paraense. A chegada deles está prevista para as 20 horas. As investigações prosseguem para identificar outras pessoas envolvidas no esquema criminoso.

Fonte: Walrimar Santos - Ascom/Polícia Civil

terça-feira, 21 de junho de 2011

Jatene quer ICMS na origem para consolidar Belo Monte

Impactos ficam no Pará enquento que o recurso do ICMS vai para outros estados
Belém - A construção da hidroelétrica de Belo Monte, no Pará, poderá ser um novo indutor do desenvolvimento, se uma reforma tributária mudar a destinação das receitas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre energia elétrica, que hoje pertence aos estados consumidores, para os estados onde estão instaladas as hidroelétricas.
A proposta será defendida pelo governador tucano do Pará, Simão Jatene (PSDB), pertencente ao principal partido da oposição ao governo federal. Ele quer que o ICMS seja cobrado na origem da produção para não beneficiar ainda mais os estados que mais vão consumir a energia de Belo Monte, como São Paulo. "Não podemos continuar sustentando o crescimento do País e ficando apenas com as mazelas", justificou o governador em entrevista exclusiva ao DCI.
Ele fez afirmação ao se referir à construção da hidroelétrica de Tucuruí, também no Pará, na década de 80. "Durante muito tempo, vários municípios próximos de Tucuruí só viam o linhão de transmissão passar por suas cabeças, enquanto eles continuam com lamparina para iluminar suas casas", lembrou.
Entre essas mazelas, ele citou que dos 7 milhões de habitantes do Pará, 2,5 milhões vivem abaixo da linha da pobreza. Em contrapartida, apontou Jatene, o estado é um dos maiores exportadores de energia elétrica para o restante do País, por causa de Tucuruí, e de matéria-prima para o exterior, em relação às jazidas minerais exportadas com isenção tributária pela mineradora Vale e outras empresas. "Contribuímos com metade da pauta de exportações do Brasil, cerca de R$ 11 bilhões, e somos um dos estados com baixo Índice de Desenvolvimento Humano do País."
"Emenda Serra"
O governo do Pará constatou que "alguns bilhões de reais" deixaram de ser arrecadados por causa da legislação que tirou do estado de origem da produção a incidência do ICMS da energia elétrica.
A legislação do ICMS sobre energia elétrica foi alterada por proposta do ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB), aprovada na Constituinte de 1988, e em vigor até hoje. A regra diz que a maior parte das receitas proporcionadas pela cobrança do ICMS pertence aos estados onde ocorre o consumo da energia e não na unidade da federação onde estão instaladas as usinas.
Como deputado da Assembleia Nacional Constituinte, José Serra - que é do mesmo partido de Jatene - defendeu na Constituinte a "Emenda Serra". Aprovada, a emenda se transformou no artigo 155, parágrafo 2º, Inciso X, Alínea b da Carta Magna. Cálculos atribuídos ao governo do Paraná, outro estado que se sente prejudicado pela norma, apontam que, por causa da Emenda Serra, aquele estado deixou de arrecadar R$ 32 bilhões até 2010.
Por isso, Jatene está fazendo negociações junto à Eletronorte, à Eletrobras, ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e ao consórcio Norte Energia, vencedor da licitação da hidroelétrica, para antecipar a solução dos problemas na região sob influência da obra, que compreende 11 municípios. "Não queremos que aconteça o que houve em Tucuruí, onde havia a cidade do luxo e a cidade do lixo", criticou o governador.
Ele batizou esse conjunto de ações de "Pacto pelo Pará", que se propõe a antecipar soluções para os impactos sociais, ambientais e econômicos previstos como decorrência do empreendimento.
Segundo ele, já ficou acertado o investimento de R$ 100 milhões em equipamentos de segurança pública em torno da cidade de Altamira. "É uma antecipação dos investimentos nas áreas a serem impactadas, antes mesmo de o impacto se realizar", justificou. "Queremos inaugurar com Belo Monte uma nova etapa na história dos grandes projetos no Pará e quiçá na Amazônia".
No Pacto pelo Pará, o governador traçou cinco grandes eixos de ação. Três setores, conforme frisou o governador, têm absoluta prioridade: segurança pública, saúde e educação. A eles, Jatene adicionou ações para melhoria da infraestrutura urbana e rural e, como quinto eixo, a implementação de programas voltados para a geração de renda.
Tanto para as populações tradicionais quanto para as que serão atraídas, o que o governo pretende, segundo Jatene, é oferecer alternativas eficientes de renda.
Licença
A licença de instalação definitiva da usina de Belo Monte não tem data prevista, informou o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), apesar da expectativa que havia dentro do governo e na concessionária Norte Energia. Segundo o Ibama, os técnicos continuam seu trabalho, mas não há uma previsão oficial para a conclusão da análise.
O processo, entretanto, está na reta final, e segundo uma fonte na Norte Energia, todos os esclarecimentos solicitados pelo Ibama já foram respondidos.
A fonte, que contava com a licença na última sexta-feira, acredita que a não liberação do documento pode estar relacionada ao fato de o Ministério Público Federal (MPF) no Pará ter enviado cartas ao Ibama recomendando que a obra não fosse autorizada.
Fonte: www.dci.com.br

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Pelo buraco da fechadura

Boatos dão conta de que no último sábado, por volta das 22:00 h., agentes da Polícia Federal bateram à porta de uma grande autoridade do município de Tucuruí, porém não a teriam encontrado em casa. A informação vem de vizinhos do dito cujo que, “brechando” a vida alheia, logo bateram um fio ao perceber a estranha movimentação. Verdade ou não, parece que essa e outras autoridades municipais não andam dormindo tranqüilas. O que se ouve no meio político é que, de fato, o fato pode acontecer. Mas o fato mesmo, falando sinceramente, é que não se pode confiar em vizinho.

Pé frio

A pérola: Sancler tenta surfar na onda do independente
Depois que o perfeito Sancler Ferreira vestiu-se de galo pra aparecer bem na foto do seu out-door de aniversário o Independente não ganhou mais nenhuma partida. Foram duas dentro de casa e dois empates. A primeira, contra o Cametá ganhou no sufoco com um gol nos últimos minutos. Já na partida de ontem foi a vez do Papão marcar no finalzinho. Sancler mandou pôr uma placa dentro do estádio pra garantir que todos iriam ver a pérola. haja pé frio!

Independente 2 x 2 Paysandu

Após virada Galo cede empate ao Paysandu no finalzinho do segundo tempo
Belém, PA, 19 (AFI) - Com um gol aos 41 minutos do segundo tempo, o Paysandu escapou da derrota e empatou com o Independente por 2 a 2, neste domingo, em Tucuruí, pelo jogo de ida da final do Campeonato Paraense. Fábio Gaúcho e Joãozinho fizeram os gols do Independente, enquanto Andrei e Mendes marcaram para o Papão.

A partida de volta acontece no próximo domingo, às 16 horas no Mangueirão. A única vantagem do Paysandu é jogar em casa, já que novo empate leva a decisão para os pênaltis, enquanto o vencedor do confronto fica com a taça.

Nunca, em suas 98 edições anteriores e 103 anos de disputa, o Estadual contou com um campeão do Interior. Os maiores campeões do Estado são Paysandu e Remo, com 44 e 42 conquistas, respectivamente.

Logo em seguida aparece a Tuna Luso, que não conseguiu em nenhum dos dois turnos chegar à fase de semifinal. O time lusitano foi campeão dez vezes, sendo a última em 1988. Por fim, o outro time que já levantou o título estadual foi a extinta União Sportiva, que levou as duas primeiras edições, em 1908 e 1910.

O jogo

A partida começou de maneira cadenciada, com as duas equipes se estudando e mostrando bastante cautela. O Paysandu saiu na frentr aos 20 minutos, num belo gol de Andrei, que soltou uma bomba de dentro da área. Contudo, a festa bicolor durou pouco, e três minutos mais tarde o Independente deixou tudo igual. Fábio Gaúcho acertou um chute indefensável da entrada da área e estufou as redes do Papão.

No final do primeiro tempo por muito pouco o Independente não virou o placar. Aos 38 minutos Marçal deixou Joãozinho na cara de Alexandre Fávaro. O atacante bateu para o gol e o volante Alex Carioca salvou em cima da linha o gol do Galo. O Paysandu respondeu no minuto seguinte, numa bomba de Marquinho, que obrigou o goleiro Dida a se esticar e mandar para escanteio.

No segundo tempo, o Independente voltou melhor e virou o placar aos 18 minutos. Silva invadiu a área pela direita e tocou rasteiro para Joãozinho só completar para o fundo das redes. O Paysandu não desistiu e buscou o empate até o fim, sendo premiado no finalzinho. Aos 41 minutos Mendes cobrou falta e deixou tudo igual no Estádio Navegantão.

Ficha Técnica

Independente 2 x 2 Paysandu

Local: Estádio Navegantão, em Tucuruí (PA)Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva
Assistentes: Márcio Gleidson Corrêa Dias e Heronildo Sebastião Freitas da Silva
Gols: Andrei, aos 20'/1T (Paysandu); Fábio Gaúcho, aos 23'/1T (Independente)

Independente
 
Dida; Neto (Mozart), Guará, Ádson e Fábio Gaúcho; Moisés, Silva, Marçal e Gian (Marraquete); Joãozinho e Cafu (Kurimatá).
Técnico: Sinomar Naves

Paysandu
 
Alexandre Fávaro; Sidny, Hebert, Diguinho e Zeziel; Alexandre Carioca, Alisson (Hellinton), Andrei (Billy) e Marquinhos (Cláudio Hallax); Rafael Oliveira e Mendes.
Técnico: Roberto Fernandes

Fonte: www.futebolinterior.com.br

Carteiras para os alunos, mesas para os professores e outras novidades no Rui Barbosa

Novas carteiras do MEC chegam ao RuiBarbosa Ensino Médio
Esta semana que passou registrou a chegada das novas carteiras escolares do Ministério da Educação (MEC) ao Rui Barbosa – Ensino médio para a felicidade dos alunos que não aguentavam mais os refugos que vinham da capital. A última leva havia trazido lixo, literalmente.
Mas não foram só os alunos que tiveram uma grata surpresa. Os professores também receberam mesas e cadeiras novas, porém o mérito dessa vez não foi do MEC e sim do Conselho Escolar em conjunto com a direção, que vêm usando de forma responsável o dinheiro do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE). Nessa gestão já foram adquiridos um data-show, um bebedouro, uma máquina fotográfica, uma impressora e ainda estão programadas duas TVs de LCD e armários tipo escaninhos.

Mesas adquiridas com recursos do PDDE

sábado, 18 de junho de 2011

Subcomissão vai discutir financiamento de mídias alternativas

A Comissão de Ciência e Tecnologia vai instalar uma subcomissão para discutir formas de financiamento da mídia alternativa. A deputada Luciana Santos, do PCdoB de Pernambuco, autora do requerimento aprovado na Comissão, explica que a ideia é possibilitar o financiamento de diversas formas de comunicação, desde blogs até rádios comunitárias.

Ela afirma que eles são um poderoso instrumentos de comunicação da sociedade organizada.
"Garantir o financiamento dessas mídias, chamadas de mídias alternativas e estimular a sociedade civil organizada a informar é uma grande vitória se a gente conseguir viabilizar o financiamento da existência desses instrumentos."

Ouça Matéria no Vermelho.

Fonte: www.vermelho.org.br

Obra de 1,99: observação pertinente de um anônimo

Av. Veridiano Cardoso: trecho crítico foi recapeado
Depois de gastar o dinheiro público em seguidas obras “tapa-buraco”, aparentemente o problema da ferida asfaltica na Av. Veridiano Cardoso foi resolvida. Digo aparentemente por que um anônimo me incutiu uma dúvida pertinente na cabeça ao comentar matéria anterior sobre o caso. Veja:

“Anônimo disse...

Professor Augusto

Com a obra da imagem estão jogando dinheiro fora. É uma obra somente para passar uma imagem de uma administração que trabalha. A obra é de uma irresponsabilidade imensa, e o Anísio, que é da Secretaria de Serviços Urbanos sabe disso. O local é complexo, pois existe um minador de água que só aparece nos seis meses de periodo chuvoso. No final de 2011 e inicio de 2012 tudo estará danificado novamente. O local precisa de uma drenagem especial.”

A pergunta é: será que a obra representa a solução definitiva do problema ou foi mais uma de 1,99 da administração Sancler Ferreira? Veremos no próximo inverno.

"Blogs impediram manipulação", disse Lula

Lula elogiou o papel dos blogs na luta pela informação
Convidado ilustre do 2º Encontro de Blogueiros Progressistas, realizado em Brasília, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva demonstrou ontem agradecimento aos responsáveis por blogs políticos nos últimos anos.
“Não vou me esquecer nunca o papel que vocês tiveram na defesa da liberdade de expressão neste país. Durante os oito anos do meu governo e sobretudo na eleição do ano passado. Vocês evitaram que a sociedade brasileira fosse manipulada, como foi por muito tempo”, disse Lula. “O povo não precisa mais de intermediário na comunicação”, completou.
A entrada do ex-presidente foi nervosa para o público e para ele. Atrás da mesa de abertura, Lula espiava o calor humano que o aguardava. “Olê, Olê Olá, Lula, Lula”. O clássico grito de guerra foi a saudação dos blogueiros em agradecimento pela presença de Lula. E a recíproca foi verdadeira. “Eu estou aqui porque como ex-presidente eu sei o bem que vocês fizeram para o país. Vocês são uma alternativa de participação da sociedade sobre as decisões do país”, falou.
A presença do ex-presidente mobilizou a imprensa nacional, que ouvia da plateia as críticas constantes de Lula. Para Lula, a comunicação sofre um processo de deterioração em todo o mundo. “Não me refiro aos meios de comunicação fazerem críticas. Isso eu aprovo. O que está acontecendo é má fé, difamações, não críticas”, argumentou.
O ex-presidente fez questão de lembrar a disputa eleitoral à Presidência, em 2010, momento que considerou emblemático na relação da comunicação e a política brasileira. “Nestas eleições eu vi o tamanho do preconceito que existe sobre a mulher neste país. O que fizeram com a companheira Dilma foi extremamente baixo”, falou. Um exemplo citado por Lula e que arrancou muitas risadas foi a bolinha de papel que atingiu o então candidato José Serra (PSDB). “Vocês foram chamados de sujos pelos que estavam fazendo a sujeira”, disse Lula aos blogueiros.
Durante o discurso, Lula também mencionou um otimismo sobre o governo Dilma em cumprir com a meta de implantar o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), elaborado no seu governo. Ele reconheceu que há dificuldades em transformar discursos em ações práticas, mas deu uma recado ao ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, que está negociando com empresas privadas o PNBL. “Não podemos ter medo de chamar esta gente pra participar, temos que falar com todos sem preconceito”, disse.
Fonte: Sul 21

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Seminário “Turismo Bom Negócio” em Marabá

Tucuruí: potencial turistico desperdiçado
“Turismo: que negócio é este?” é o tema da palestra principal do Seminário “Turismo Bom Negócio” que o Governo do Estado, por meio da Companhia Paraense do Turismo (Paratur) realiza no próximo dia 21, na Faculdade Metropolitana de Marabá.  O evento, realizado em parceria com a Prefeitura Municipal local e com apoio da Secretaria de Turismo de Marabá, visa o fortalecimento do turismo enquanto atividade econômica no pólo turístico Araguaia Tocantins.
O pólo Araguaia Tocantins é formado por 52  municípios localizados em sua maioria às proximidades dos rios Araguaia e Tocantins, a exemplo de Marabá, que além de bela praia de rio (praia do Tucunaré) se destaca na produção industrial. Considerada cidade polo do sudeste paraense, Marabá, que integra a Rota dos Minérios, está localizada a 527 km da capital, Belém, no encontro dos rios Tocantins e Itacaiúnas. A partir de meados de junho, com a baixa do rio Tocantins, revela suas praias, a exemplo da praia do Tucunaré e do Geladinho, muito acessíveis e ideais para quem gosta de sol e água doce.
No polo também encontramos dois projetos de grande importância para a economia brasileira, a Hidrelétrica de Tucuruí e a extração mineral da Serra do Carajás. A beleza da região é complementada pelas longas praias de água doce, algumas desertas servindo de refúgio para a fauna da região. 
A pesca esportiva é o grande atrativo para quem visita Tucuruí, onde  vários lagos oferecem opções de pesca, com destaque para o Tucunaré. A história do Brasil também tem eco nessa região, já que Conceição do Araguaia foi cenário da “Guerrilha do Aragauia”. Lá, o visitante pode percorrer os caminhos feitos por aqueles que participaram dessa luta histórica.
O município de Barcarena tem grande relevância para o polo, por sua contribuição histórica, já que foi ali que o líder da revolução da Cabanagem, Cônego Batista Campos, se refugiou e morreu em 1834. Barcarena é sede de grandes projetos de beneficiamento de alumínio.
O agronegócio também move grande parte da economia do Araguaia Tocantins, a exemplo do município de Floresta do Araguaia, que detém o título de segundo maior produtor de abacaxi do Brasil, por isso no mês de julho é realizada a grade festa do “Festival do Abacaxi”. Esse tipo de festival tem variações em Barcarena e outros municípios do polo, que se destaca pela produção pecuária também. Barcarena, Cametá, Conceição do Araguaia, Marabá, Parauapebas e Tucuruí são os municípios principais do polo Araguaia Tocantins.
As inscrições para o evento, que começa às 18h30, já estão abertas, na Travessa Carlos Leitão, S/N, no bairro Centro M. Pioneira ou pelo e-mail setur@maraba.pa.gov.br. Maiores informações podem ser obtidas pelo telefone (94) 3321-1829. O seminário tem, ainda, apoio do Sindicato de Hotéis, Restaurantes Bares e Similares (SindHotéis), Serviço Brasileiro de Apoio às  Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Associação Comercial e Industrial de Marabá  e Pólo Araguaia Tocantins.

Fonte: Benigna Soares - Ascom Paratur