quarta-feira, 27 de abril de 2011

Professores querem que Sancler não sancione PCCR

Professores lotam o auditório do Sintepp na luta pelo PCCR e por melhoria salarial
Recheado de erros, contrariando a Constituição e a LDB e trazendo perdas salariais e de direitos, o PCCR aprovado na Câmara não agradou a categoria dos professores, que cada vez mais se afasta do prefeito Sancler.

Na educação o dia de hoje foi marcado pela paralisação dos professores da Rede Municipal de Ensino de Tucuruí. Reunidos na sede do Sintepp, onde a categoria compareceu em número considerável, debateram pela manhã a situação do Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCR) aprovado pela Câmara de Vereadores.
O Plano, que não ficou como queria a categoria, foi muito criticado, principalmente por que estaria contrariando a Constituição Federal e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB). Baseado nisso, a categoria apela agora para o senso de responsabilidade do prefeito Sancler Ferreira, pedindo que este não o sancione.
Após o debate, a categoria encaminhou-se para a sede da prefeitura, onde protocolou o documento com o pedido para que o prefeito não sancione o PCCR. Para o advogado do Sintepp, José Brás, responsável pela Região Tocantina, os erros grosseiros existentes no plano só podem se explicados pela falta de preparo da Secretaria de Educação (SEMED) para discutir o assunto. “Estamos diante de um gestor e de uma secretaria de educação que não entende de educação. É isso”, disse. Em entrevista à uma rádio local, falou ainda que o plano não tem coerência e que parece mais uma colagem de artigos de outras leis que não seguem uma lógica.
O diretor do Sintepp estadual, Mauro Borges, que também esteve presente na Assembléia, alertou para a armadilha da incorporação ao salário base de direitos conquistados, como as gratificações:"a princípio pode parecer uma boa, pois o salário aumentaria significativamente, porém com a defasagem, que sempre vem, os professores acabarão no prejuízo, com achatamento salarial".

Data Base: professores insistem na negociação

José Brás esclarece sobre o PCCR
À tarde a categoria continuou reunida em Assembléia, onde discutiu também a questão da data-base 2011. A possibilidade de greve foi ventilada, porém os professores decidiram dar mais um prazo de uma semana para que o prefeito Sancler anuncie um aumento salarial justo, sendo que as negociações já se arrastam por mais de um mês. A greve deverá ser deflagrada caso vença esse prazo e as reivindicações da categoria não sejam atendidas. A proposta de aumento salarial do Sintepp é de 30%.

Nenhum comentário: