domingo, 17 de abril de 2011

Cartel aumenta preço da gasolina em Tucuruí

Repare que a bomba marca R$ 3,129 pelo litro da gasolina comum
Bastou o governo admitir que talvez, quem sabe? Haja a possibilidade de aumento no preço da gasolina para o cartel do setor em Tucuruí colocar o valor do produto lá nas alturas. As bombas de alguns postos, que marcavam R$ 2,89 até pouco tempo, foram subindo esse valor, subindo, subindo e agora já chegam a R$ 3,12 como mostra a foto acima.
Taí uma bandeira que o pomposo “Movimento Popular em Defesa da Vida e pelo Pregresso de Tucuruí” poderia abraçar: um preço justo para o combustível em nossa cidade. Veja abaixo matéria do Portal G1 sobre o assunto.

Petrobras estuda aumento da gasolina e governo resiste, diz Lobão
Governo não tem interesse no aumento; Petrobras pode ter, diz ministro.
Segundo ele, barril do petróleo em preço 'elevadíssimo' pode gerar reajuste.

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, afirmou nesta quarta-feira (16) que há estudos no âmbito da Petrobras para um possível reajuste dos preços da gasolina. Entretanto, acrescentou que o governo, o controlador da empresa estatal, resiste a autorizar um aumento no preço do combustível.
"Até quando for suportável, e a Petrobras está estudando isso [aumento do preço], resistiremos. Não há interesse do governo [em aumentar o preço da gasolina]. Da Petrobras, pode haver", disse Lobão antes de reunião no Ministério da Fazenda.
O preço do petróleo começou a subir com mais intensidade nas últimas semanas com as tensões nos países produtores no Oriente Médio.
O ministro acrescentou, porém, que o governo não está trabalhando com a possibilidade de aumento da gasolina "neste momento".
"É claro que, se o barril do petróleo atingir patamares elevadíssimos, o que não se supõe que vai acontecer, podemos repensar o assunto", declarou Lobão.
Ele afirmou que ouviu falar "várias vezes" que, quando o preço do barril do petróleo atingisse US$ 105, teria de haver reajuste da gasolina no mercado interno. "Mas [o barril] chegou a US$ 110 e não se fez [o aumento]", disse o ministro de Minas e Energia.

(Fonte: g1.com.br)

Nenhum comentário: