quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Praticando e aprendendo democracia na sala de aula


Todo início de ano nós professores temos uma oportunidade ímpar de demonstrar, na prática, a importância da democracia quando nos incumbimos de mediar a eleição de representantes de turma. É ali na escola, na sala de aula, que a criança tem um de seus primeiros contatos com a cidadania e por isso acredito que devemos tomar três cuidados básicos: em primeiro lugar, a eleição deve ser secreta e a decisão soberanamente tomada pela turma sem qualquer interferência do professor; segundo, o ritual da apuração é fundamental, devendo-se contar voto a voto, pois isso cria expectativas, empolga e prende a atenção da turma; terceiro, o representante e o vice devem ser os mais votados, evitando-se a ideia de que deva ser um homem e uma mulher, pois o que vale na democracia é a representatividade e não o gênero.
Levando-se em consideração que a prática leva à perfeição, esse ato, muitas vezes encarado de forma mecânica, deve ganhar relevância para que construamos uma sociedade cada vez mais consciente e preparada para escolher quem vai dirigir os destinos do país. Agindo assim estaremos contribuindo para que esse momento seja de grande e fecundo aprendizado. 

Um comentário:

Anônimo disse...

No ensino médio esse momento deve ser ainda mais valorizado, além da participação nos grêmios estudantis que também é algo muito importante,pois no ensino médio já temos mesmo alunos com poder de participação através do voto em elições reais. A grande responsabilidade dos professores do ensino médio, principalmente os das escolas publicas, que se encontram em situação lamentável, não é somente preparar nossos alunos para o mercado de trabalho ou para ser aprovado em processos seletivos, é trabalhar em nossos jovens uma formação integral, que envolva valores humanos necessários para um cidadão de bem, consciente e ativo quanto aos seus direitos e deveres.