segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Democracia é discutir eleições na escola


Considero importante que a juventude discuta política e se interesse pelos destinos do país. Nada melhor do que fazer isso na escola, porém a legislação eleitoral, por incrível que pareça, é o maior obstáculo para que isso aconteça.
Como membro do conselho escolar, fui ao cartório eleitoral de Tucuruí pedir uma urna eletrônica e informar que pretendia, em parceria com o grêmio estudantil, fazer uma prévia numa das escolas em que eu trabalho visando provocar o debate na comunidade escolar em relação à disputa para a presidência e para o governo do Estado. A resposta foi negativa. Não pode fazer prévia nem com urna eletrônica, nem com cédula de papel. Fiquei com a impressão de que posso até ser preso se tocar no assunto “eleições” na escola.
Pra não ficar muito feio, me ofereceram uma urna com candidatos fictícios para simular uma votação. Recusei imediatamente, pois estamos vivendo um momento importante e precisamos discutir a situação real, os projetos que estão sendo colocados para o Brasil e para o Pará. Considero o debate de ideias saudável e necessário. É preciso mudar imediatamente essa legislação e permitir que o debate eleitoral ganhe as escolas.

Nenhum comentário: