domingo, 28 de fevereiro de 2010

Prof. Reginaldo Oliveira: "a educação melhorou no Pará nos últimos três anos"



"Diferente do que se fala nos meios de comunicação e nas 'bocas malditas', a educação no Governo Ana Júlia tem mostrado melhoras significativas nesses últimos três anos."


O ano letivo de 2010 nas escolas estaduais começou oficialmente no dia 18 de fevereiro, mas o negócio começa a esquentar mesmo é nesta segunda-feira. Durante a semana que passou alunos e professores participaram de debates, palestras e reuniões com o intuito de se prepararem para um ano de muito êxito.
Para contribuir com esse esforço trago para os leitores desse blog uma entrevista com o Diretor da 16ª URE, Prof. Reginaldo Oliveira. Reginaldo é licenciado em Educação Física e especialista em Gestão Escolar. Pertence ao quadro efetivo da Prefeitura de Tucuruí, do qual está licenciado, e é professor do quadro efetivo do Estado. Antes de assumir a direção da URE foi vice-diretor da Escola Ribeiro de Souza. Espero que gostem.

Professor, na sua opinião, a educação tem dado sinais de melhora no Brasil?

Sim! Nessa última década a educação tem dado um salto qualitativo em quase todos os setores. Vamos deixar aqui de lado a política salarial do magistério que, apesar do piso nacional, ainda está muito longe do que merecemos.
São inúmeras as políticas públicas que estão sendo desenvolvidas na busca da melhoria da educação. Dentre elas destaco algumas na educação básica, com a qual convivemos diariamente e temos ações voltadas diretamente aos alunos como melhoria, aquisição e ampliação da frota do transporte escolar, inclusive no transporte aquaviário; ampliação da per capita para merenda escolar, criando um programa de regionalização do cardápio; recursos destinados aos municípios para implantação da educação infantil através do Pró-infância e principalmente o PAR (Plano de Ações Articuladas), que está possibilitando aos municípios brasileiros desenvolveram ações voltadas para a formação continuada dos professores.

E no Pará, o que mudou na educação durante o governo Ana Júlia?

Bem, diferente do que se fala nos meios de comunicação e nas “bocas malditas”, a educação no Governo Ana Júlia tem mostrado melhoras significativas nesses últimos três anos. Vamos falar por setores. Infraestrutura: recebemos em 2007 um total de 1200 escolas, onde mais de 90% estavam deterioradas, precisando de reformas. Reformamos e/ou ampliamos quase a metade desse montante. O Ribeiro de Souza é um exemplo disso. Pessoal: havia, só na educação, mais de 10 mil temporários. O Estado fez concurso e já nomeou mais de 5000 mil professores e 2500 técnicos em educação,  para os quais  nunca houve concurso nesse Estado. Finaceiro: As escolas recebiam apenas o Fundo Rotativo (dinheiro para material de expediente e de limpeza). Agora, além do fundo rotativo, centenas de escolas foram contempladas com recursos financeiros através de programas e projetos como o “Escola de Portas Abertas” e o “Protagonismo Juvenil”, sem falar que mais de 90% das escolas receberam recursos para a compra do uniformes. Valorização do servidor: a liberação do Cred-leitura continuou, mas agora para todos os professores, independente de sua CH. Outra novidade é que diretores e técnicos também recebem. Entretanto a principal mudança foi levar o Salão do Livro para o interior do Estado, dando oportunidade a todos. Temos também a auxílio alimentação, que apesar de ser pouco, mas agora todos os servidores da educação recebem, não apenas os lotados na SEDUC sede.

As escolas de Tucuruí estão preparadas para o começo do ano letivo?

No que se refere ao quadro de pessoal, sim! Hoje em Tucuruí não temos nenhuma turma sem professor nas escolas e acho que é a primeira vez que isso acontece na história do ensino médio em Tucuruí. Quanto à estrutura física, o Ribeiro de Souza e o Simão Jacinto são modelos de escolas equipadas e bem estruturadas para atender com qualidade sua comunidade escolar, mas ainda precisamos resolver o problema da reforma do Rui Barbosa.

É Óbvio que, embora muita coisa tenha sido feita, ainda existem muitos problemas a serem enfrentados. Quais os principais problemas da educação hoje no Estado do Pará?

Numa política macro para educação no Estado, podemos dizer que alguns dos principais problemas a serem enfrentados hoje são a aprovação do PCCR (Plano de Cargos Carreira e Remuneração), a reestruturação do Sistema Modular de Ensino e a construção de novas escolas em alguns municípios onde a demanda cresceu.

Você considera que a gestão democrática nas escolas está dando certo? Caso a resposta seja sim, quais os sinais disso?

Em parte sim. Esse processo possibilitou que a comunidade escolar pudesse vivenciar uma nova experiência dentro do ambiente escolar, que foi a possibilidade de debater sobre os problemas da escola, propor mediadas para solucioná-los e escolher através do voto a equipe que teria a responsabilidade de colocar em prática todos os desejos e anseios da comunidade escolar.
Por outro lado, a portaria que regulamenta a eleição definiu que os candidatos deveriam ter pós-graduação, com isso impossibilitou muitos municípios de realizar eleição por falta de profissionais aptos a concorrer.

E o grêmio? Tenho notado que existe uma preocupação do Governo do Estado em incentivar a formação de Grêmios Livres Estudantis. Qual a importância disso?

Essa política de valorização do estudante começou com o Secretário Mário Cardoso, já no início do governo. Para ele os alunos deveriam estar organizados na escola, pois só assim teriam mais força para participar do debate pela melhoria da escola e também contrapor gestores antidemocráticos que poderiam se comportar diferente da política de educação do Estado voltado para a gestão democrática. Nesse sentido, viajamos por todos os municípios dessa região incentivando os estudantes a se organizarem e fundarem os grêmios.

2 comentários:

Anônimo disse...

Propaganda, proaganda e mais propaganda(enganosa, diga-se de passagem)!!!
Um governo que em três anos, enfrentou duas greves na educação, mostrando total despreparo administrativo e arrogância, mandando inclusive a polícia militar bater nos trabalhadores que pediam pra ser recebidos na casa civil.
Que teve que demitir a secretária, acusada de fraudar licitação dos kits escolares, e está sendo processada por isso, inclusive, tendo seus bens bloqueados.
Que não aprovou o PCCR, e sequer discutiu com a categoria (que tem uma proposta de plano).
E que fez reformas de fachada, pois a maioria das escolas permanece caindo na cabeça de estudantes e trabalhadores.
E ainda assim tem a pachorra de dizer a educação melhorou... ai, ai!!!

Anônimo disse...

Ha! Ha! Ha!quanta demagogia! até parece que o sol da realidade pode ser tapado com a peneira da incompetência,da corrupção e da política de "pão e circo" diante do comentário acima eu assino em baixo! e só lamento que nessa política do Pt esse governo tem envergonhado a categoria dos trabalhadores