quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Quando o público vira privado

Embora seja uma cidade pequena Tucuruí vive problemas de cidades grandes, como a
situação caótica do trânsito no centro comercial.


Achar uma vaga pra estacionar no horário de pico é uma verdadeira aventura e a companhia de trânsito fica só esperando um vacilo pra “canetar” os motoriastas.

Como se não bastasse, uma prática abominável está se tornando comum no centro de Tucuruí: comerciantes estão se apropriando das poucas áreas públicas de estacionamento. É o público virando privado sem que ninguém tome qualquer providência.

Se uma empresa tem necessidade de estacionamento privativo o certo seria construí-lo dentro de seu próprio estabelecimento, como fez o shopping e o Supernorte, e não a apropriação indevida do espaço público, obrigando, na maioria das vezes, os motoristas a estacionar bem longe do seu objetivo.

Recentemente a companhia de trânsito distribuiu novas placas de “proibido estacionar” pela cidade e deu um retoque na pintura do velho asfalto. Legal, ficou até bonito, mas esqueceu-se de retirar os cones privados que infernizam a vida dos motoristas.

Se por um lado novas áreas são consideradas proibidas para estacionamento, por outro aquelas que estão aptas deveriam ser liberadas. Do contrário, quem pegar multa no centro de Tucuruí por estacionar em local proibido tem todo o direito de recorrer argumentando que o local onde poderia ter estacionado estava indevidamente interditado.